Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Consumo regular do desjejum e associação com marcadores de hábito alimentar saudável e não saudável em estudantes universitários
Marielly Rodrigues de Souza, Paulo Rogério Melo Rodrigues

Última alteração: 04-10-18

Resumo


O desjejum é a primeira refeição do dia e é considerada a mais importante, sendo positivamente associada à ingestão adequada de nutrientes, consumo de alimentos protetores de doenças crônicas não transmissíveis e com efeito benéfico sobre indicadores metabólicos e cardiovasculares. Por outro lado, o consumo irregular e a omissão do desjejum têm sido associados a pior qualidade da dieta, aumento da adiposidade central e total, resistência à insulina, dislipidemia e síndrome metabólica. Com o ingresso na universidade muitos estudantes passam a ter novas responsabilidades, entre elas organizar a própria alimentação e a falta de habilidade para realizar essas tarefas, pode resultar em omissão de refeições e consumo de lanches rápidos em detrimento de preparações nutricionalmente adequadas. O objetivo desse estudo foi avaliar a associação do consumo regular do desjejum com marcadores de hábito alimentar saudável e não saudável em estudantes universitários. Estudo transversal, com universitários de 16 a 25 anos de idade, que ingressaram nos cursos de graduação de período integral na Universidade Federal de Mato Grosso, campus Cuiabá, em 2015 e 2016. Os dados foram coletados por questionário autoaplicado. A frequência de consumo do desjejum foi obtida pela pergunta “Em média, com que frequência você faz as seguintes refeições?” tendo como opções de resposta: diariamente, 5 a 6 vezes/semana, 3 a 4 vezes/semana, 1 a 2 vezes/semana e nunca/quase nunca. Essas frequências de consumo foram agrupadas em três categorias: Regular (diariamente e 5 a 6 vezes na semana), Irregular (3 a 4 vezes na semana e 1 a 2 vezes na semana) e Omissão (nunca ou quase nunca). O consumo alimentar foi avaliado por meio de screener alimentar, sendo considerado marcadores de hábito alimentar saudável a frequência de consumo de verduras, legumes e frutas e os marcadores de hábito alimentar não saudável a frequência de consumo de lanches fora de casa, lanches comprados dentro da universidade e ingestão de bebidas com adição de açúcar. Para verificar a associação entre as variáveis de interesse, foi aplicado o teste do qui-quadrado. As análises estatísticas foram conduzidas no software SPSS, versão 17.0 e foram considerados estatisticamente significativos os resultados com o nível de significância de 5%. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Júlio Müller, sob parecer nº 1.006.048. O consumo regular do desjejum foi observado em 64,1% dos estudantes, apresentando associação significativa com o consumo regular de legumes e verduras (64,8%, p<0,05) e regular de frutas (28,6%, p<0,05). No entanto, o consumo regular do desjejum não apresentou associação significativa com nenhum dos marcadores de hábito alimentar não saudável (lanches fora de casa, p=0,38; lanches comprados dentro da universidade, p=0,63; e ingestão de bebidas com adição de açúcar, p=0,68). Neste estudo, foi expressiva a frequência de consumo regular do desjejum, a qual foi positivamente associada a frequência de consumo de marcadores de hábito alimentar saudável.


Palavras-chave


Desjejum, Hábitos Alimentares, Estudantes