Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação da atividade e do mecanismo de ação anti - infamatório do extrato aquoso do infuso das folhas de Copaifera malmei Harms
thais Campos Dias

Última alteração: 05-10-18

Resumo


A inflamação é uma resposta do organismo frente a agentes lesivos de diversas naturezas (físicos, químicos, biológicos), caracterizada por uma série de eventos e mecanismos vasculares e tissulares, com objetivo de reconhecer o agente causador e reparar danos ao organismo e eliminar o agente flogístico, restaurando a homeostasia local. Atualmente, vários medicamentos encontram-se disponíveis para uso clínico como anti-inflamatórios, entre elas, as que apresentam mais destaque são os anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs) e/ou anti-inflamatórios esteroidais (AIEs). No entanto, essas drogas,  possuem alto potenciais de efeitos adversos. O gênero Copaifera, família Fabaceae, ocorre na África, Américas Central e do Sul e Ásia, e compreende aproximadamente 72 espécies. É um arbusto endêmico que cresce selvagem nos estados de Mato Grosso e Goiás, no Brasil, é conhecido como "copaíba-mirim", "óleo-mirim", "podoinho", "pau-d'óleo","Guaranazinho", "pau-d'inho" e "copaibinha", tem seu grande uso pela população na microrregião do norte Arraguaia no Centro Oeste do Brasil, no tratamento de doenças como bronquite e asma. Devido a escassez de estudos farmacológicos, fitoquímicos e toxicológicos que comprovem o uso da ação antiinflamatória, este trabalho tem por objetivo analisar o potencial anti-inflamatório da planta em estudos envolvendo mecanismos de ação em modelos de inflamação aguda in vivo e in vivo. Métodos: As folhas frescas de Copaifera malmei serão coletadas, limpas, secas à temperatura ambiente até eliminação completa da umidade e trituradas em moinho de facas com Tamis 40. O extrato da planta será preparado por infusão, adicionando-se 40 gramas do pó das folhas em 1 L de água destilada a 100 ºC e, abafando por 15 min, seguido pela filtragem em papel de filtro 8µm e o filtrado congelado a -86 ºC e liofilizado. Para os ensaios in vitro de citoxicidade será baseada no método de NAKAYAMA (1997), utilizando células não metabolizadoras da linhagem RAW 276.4. Será realizada a Indução da resposta inflamatória em macrófagos murinos com LPS para quantificação de citocinas e de NO, e a expressão de proteínas de p38 MAPK, ERK e JNK, através do método de western blooting. In vivo será realizado a peritonite induzida por LPS, a quantificação do lavado intraperitoneal, dosagem de NO e citocinas e Edema de pata induzido por carragenina em ratos Análise: Para analise os resultados dos testes paramétricos envolvendo variáveis contínuas serão expressos em termos de média ± erro padrão da média (X ± E.P.M.). Para comparação de mais de duas médias será utilizada a análise de variância (ANOVA) uma via, seguida do teste de Student-Newman-Keuls.


Palavras-chave


inflamação; copaifera malmei; plantas medicinais

Referências


ADZU, B; et al. Evaluation of the safety, gastro protective activity and mechanism of action of standar disedle avesin fusion extract of Copaifera malmei Harms. J. Ethnopharmacol. 175, 378–389. 2015.

ALLER, M.; ARIAS, J; SÁNCHEZ-PATÁN, F., & ARIAS, J. The inflammatory response: An efficient way of life. Medical science monitor, v. 12, n. 10, p. RA225, 2006.

NAKAYAMA G.R; et al. Parandoosh Assessment of the Alamar blue assay for cellular growth and viability in vitro. J. Immunol. Methods, 204. pp. 205-208. 1997

RIBEIRO, R.V; BIESKI, I.G.C; BALOGUN, S.O; MARTINS, D.T.O. Ethnobotanical study of medicinal plants used by Ribeirinhos in the North Araguaia microregion, Mato Grosso, Brazil. J. Ethnopharmacol. 205, 69–102. 2017.