Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
DIAGNÓSTICO TARDIO DE HIV/AIDS NA POPULAÇÃO DE MEIA IDADE E IDOSOS
Janderson Diego Pimenta da Silva, Ana Carolina Macri Gaspar, Rosemeiry Capriata de Souza Azevedo, Annelita Almeida Oliveira Reiners, Priscila Aguiar Mendes, Aenne Zandonadi Rodrigues Santana

Última alteração: 03-10-18

Resumo


Introdução: O índice de HIV/AIDS vem aumentando consideravelmente na população de meia idade e idosos e grande parte dos diagnósticos acontecem tardiamente nos serviços de saúde de atenção secundária e terciária. Vários são os fatores que contribuem para que isso aconteça como os estereótipos sobre o comportamento sexual daquelas pessoas e o despreparo dos profissionais de saúde para abordar questões sobre sexualidade ainda na atenção primária. Verifica-se no Brasil que ainda são incipientes os estudos sobre essa temática. Objetivo: Analisar os fatores associados ao diagnóstico tardio de HIV/AIDS em pessoas de meia-idade e idosos. Método: Estudo transversal, analítico que será realizado no Centro de Testagem e Aconselhamento e Serviço de Atenção Especializada (CTA/SAE) do município de Tangará da Serra–MT, com pessoas de meia-idade e idosos diagnosticados com HIV/AIDS. Os dados serão coletados no período de junho a agosto de 2019, por meio de análise de prontuários e entrevistas utilizando instrumentos com questões referentes aos dados sociodemográficos dos participantes e sobre seu comportamento sexual. O processamento e análise dos dados será realizado por meio de programa estatístico. Aspectos éticos: O projeto será submetido à análise do Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Geral Universitário Júlio Muller – HUJM, conforme as exigências da Resolução n° 466/12 do Conselho Nacional de Saúde (CONEP).

 


Palavras-chave


Diagnóstico Tardio; HIV; Síndrome de Imunodeficiência Adquirida; Meia idade; Idoso

Referências


ALENCAR, R. A.; CIOSAK, S. I. O diagnóstico tardio e as vulnerabilidades dos idosos vivendo com HIV/aids. Rev Esc Enferm USP, v.49, n.2, p. 229-235, 2014.

 

ALENCAR, R. A.; CIOSAK, S. I. Aids em idosos: motivos que levam ao diagnóstico tardio. Rev Bras Enferm, v.69, n.6, p.1140-1146, 2016.

 

DAI, S. Y. et al. Prevalence and Factors Associated With Late HIV Diagnosis. J. Med. Virol, v.87, p.970–977, 2015.