Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Profissionalização feminina em Cuiabá: uma análise das narrativas da revista A Violeta e do jornal A Cruz (1920-1930)
Geisa Luiza Arruda

Última alteração: 22-11-18

Resumo


A presente pesquisa objetiva analisar os discursos acerca da profissionalização feminina em Cuiabá inseridos na revista feminina A Violeta e no jornal católico e conservador A Cruz entre os anos de 1920 e 1930. Analisando de forma qualitativa as narrativas presentes nos dois meios de comunicação, apresentamos como algumas profissões desempenhadas por mulheres, tais como: atividades domésticas, cabeleireiras, funcionárias públicas e professoras eram retratadas pela imprensa local. Os discursos feministas da revista A Violeta, apesar de contidos, são comparados aos discursos conservadores do jornal A Cruz, num contexto que engloba os ideais republicanos do início do século XX, o modernismo em voga e a necessidade da Igreja católica em conservar condutas e comportamentos tidos como naturais. Os veículos de comunicação escolhidos como fontes da pesquisa mostram-se ora motivadores para um certo grau de emancipação feminina, no caso da revista feminina; ora cerceadores de desejos por meio de costumes católicos, no caso do jornal. Dessa forma, pretendemos lançar luz acerca de determinadas profissões exercidas por mulheres e analisar como os discursos, principalmente aqueles oriundos da imprensa, condicionam e moldam comportamentos sociais, naturalizando ações e fixando papéis de gênero.


Palavras-chave


Gênero, revista A Violeta, jornal A Cruz