Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
AMOR, CASAMENTO, DIVÓRCIO E ADULTÉRIO: EFEITOS DISCURSIVOS SOBRE O FEMININO EM CUIABÁ 1934
Valeska Bassi de Souza

Última alteração: 22-11-18

Resumo


O objetivo desta pesquisa é pensar os processos de subjetivação e objetivação feminina a partir de edições do Jornal A Cruz e O Comércio de 1916 a 1934 e de uma ação civil de divórcio, movida no ano de 1934, na cidade de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, requerida pelo marido à Astrogilda da Fonseca Duarte, acusada de adultério de injúria grave. A partir da análise do discurso tanto dos jornais quanto do processo, trazemos à baila questões relacionadas ao modelo feminino gestado e consolidado pelo mundo burguês do final do século XIX, enfocando as relações e desigualdades de gênero que se desenvolvem dentro do casamento e do divórcio. Cabe também pensar como a honra e moral masculinas dependiam do comportamento feminino, especialmente a partir do século XVIII, momento em que as mulheres foram o maior alvo do controle das práticas sexuais, dos corpos e do discurso moralista advindos da medicina, dos juristas, e das políticas eugênicas higienistas da sociedade capitalista, industrial e burguesa. Por tudo, além de investigar se tais discursos traduziam o papel reservado à mulher no matrimônio e das relações de gênero, também é essencial apontar outros caminhos trilhados, por exemplo, pela experiência de Astrogilda e mostrar a constituição de outras relações e possibilidades para as mulheres enquanto sujeito ativo e não apenas passivo de uma opressão patriarcal.

Palavras-chave


Casamento. Desigualdade de Gênero. Divórcio. Desquite.