Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE EM MENORES DE 15 ANOS COM HANSENÍASE
MICHELLE VEIGA DE ALMEIDA, Gutembergue Santos de Sousa, Raíssa Mariah Ferraz Moreira Barcelos, Silvana Margarida Benevides Ferreira

Última alteração: 03-10-18

Resumo


 

RESUMO

Introdução: A hanseníase é uma doença milenar, sendo considerada um grave problema de saúde pública. As consequências da doença vão além do comprometimento físico, abarcam as relações sociais e psicológicas, já que historicamente a exclusão e sentimento de piedade foram colocados sobre o ser doente. Nesse contexto a qualidade de vida deve ser vista como um indicador social e de saúde capaz de medir o impacto das políticas públicas na vida da população. Observa-se que a hanseníase pode influenciar negativamente na qualidade de vida do portador da doença, afetando principalmente os domínios físicos e psicológicos, sendo pior esta relação quando existe cronicidade da doença, podendo haver sérios prejuízos relacionados ao crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde em crianças e adolescentes menores de 15 anos portadores de hanseníase, no município de Cuiabá-Mato Grosso. Metodologia: Estudo epidemiológico transversal com crianças e adolescentes menores de 15 anos, com diagnóstico de hanseníase, residentes no munícipio de Cuiabá-MT, selecionados através das fichas de notificação no banco de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN/MT) da Secretaria de Estado de Saúde – MT. Os participantes da pesquisa serão divididos em dois grupos, sendo um grupo de pacientes com incapacidade física e outro grupo sem nenhum grau de comprometimento físico, para comparações de escores entre os grupos de modo, a saber, se a presença da incapacidade física favorece a diminuição da qualidade de vida desses pacientes. Para avaliar a qualidade de vida será aplicado o instrumento Escore de qualidade de vida na dermatologia infantil (CDQLI) já validado. Resultados esperados: Acredita-se que a existe uma diminuição dos escores da qualidade de vida dos portadores de hanseníase, com comprometimento significativamente superior naqueles que apresentam algum grau de incapacidade física. Espera-se com este estudo contribuir para melhoria na assistência a esses pacientes, sensibilizando os profissionais para uma abordagem mais qualificada, a fim de promover o diagnóstico precoce, para redução de sequelas e melhoria na qualidade de vida, e ainda fomentar a criação de novas políticas públicas que visem ampliar o olhar para esse grupo.


Palavras-chave


Hanseníase, Criança, Adolescente, Qualidade de vida