Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DA EXPRESSÃO DA ANEXINA A1 EM CÉLULAS T CD8+ ASSOCIADA AS CARACTERISTICAS HISTOPATOLÓGICAS DA PELE DE PACIENTES COM LEISHMANIOSE CUTÂNEA
HELEN AGUIAR LEMES DA SILVA, Amilcar Sabino Damazo

Última alteração: 05-10-18

Resumo


A leishmaniose cutânea é uma doença infecciosa, não contagiosa da pele, causada por protozoários do gênero Leishmania. No Brasil o coeficiente de detecção de novos casos de leishmaniose em 2016 foi de 6,2/100 mil habitantes e no estado de Mato Grosso, o coeficiente de detecção no mesmo ano foi de 50,4/100 mil. Os exames parasitológicos, exame histopatológico e a reação em cadeia de polimerase (PCR) são de extrema importância para identificar a presença do parasita. O objetivo deste trabalho foi quantificar a expressão da proteina anexina A1 nas células T CD8+ de fragmento da pele de paciente com leishmaniose cutânea. A detecção do parasita de Leishmania foi feita pela técnica de PCR, identificando o gene Hsp70. Todos os pacientes (n=25) foram positivos pela técnica de PCR e apresentavam lesão cutânea, sendo que as características histopatológicas das úlceras foram categorizadas histopatológicamente em 4 tipos: reação exudativa celular (REC), reação exudativa necrótica (REN), reação exudativa granulomatosa (REG) e reação exudativa necrótico-granulomatosa (RENG). Avaliando expressão de anexina A1, observou-se que essa proteína estava presente em todos os tipos de lesão, porém em pacientes com lesão REN (120,8 ± 8,3 UA), apresentou-se menor expressão quando comparadas com os outros tipos de lesão REC (154,8 ± 5,5 UA), REG (154,6 ± 5,7 UA) e RENG (185,8 ± 11,7 UA). Sabe-se que a expressão da ANXA1 é importante para a regulação do processo inflamatório, regulando a liberação de citocinas e a migração celular. A menor expressão da ANXA1 nos pacientes REN pode indicar uma maior ação pró-inflamatória dessas células nesse tipo de lesão.  Esses dados demonstram que essa proteína está expressa durante a resposta celular frente aos antígenos da Leishmania. Em conclusão, os dados deste trabalho associados com a literatura demonstram a relevância da dinâmica da ANXA1 na regulação do sistema imunológico durante a leishmaniose cutânea.

 

 

 


Palavras-chave


leishmaniose cutânea, anexina A1, linfócitos T CD8.

Referências


DAMAZO, A. S.; PAUL-CLARK, M. J.; STRAUS, A. H.; TAKAHASHI, H. K.; PERRETTI, M.; OLIANI, S. M. Analysis of the annexin 1 expression in rat trachea: study of the mast cell heterogeneity. Annexins, v.1, p.12-18. 2004.

DA GRAÇA, CG; VOLPINI, AC; ROMERO, GAS; OLIVEIRA-NETO, MP; HUEB, M; PORROZZI, R; BOITÉ, MC; CUPOLILLO, E. Development and validation of PCR-based assays for diagnosis of American cutaneous leishmaniasis and identification of the parasite species. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v. 107(5), p. 664-674. 2012.

MAGALHÃES AV, MORAES MAP, RAICK AN, LLANOS-CUENTAS A, COSTA JML, CUBA CC, MARSDEN PD. Histopatologia da leishmaniose tegumentar americana por Leishmania braziliensis. Classificação histopatológica. Rev Inst Med Trop Sao Paulo, 1986; v.28 p.421-30, 1986.