Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ASPECTOS IDENTITÁRIOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA ESCOLA ESTADUAL MARIA DE ARRUDA MULLER – COMUNIDADE ABOLIÇÃO/MT
Michele Correa de França, Suely Dulce de Castilho

Última alteração: 30-09-18

Resumo


Este estudo, em andamento, insere-se na Linha de Pesquisa Movimentos Sociais, Política e Educação Popular do Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Educação – Universidade Federal de Mato Grosso. É um desdobramento do projeto Saberes, fazeres e dizeres de docentes atuantes em escolas estaduais quilombolas do Estado de Mato Grosso, financiado pela FAPEMAT, desenvolvido desde 2016 pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Quilombola – GEPEQ, coordenado pela professora doutora Suely Dulce de Castilho.  O estudo em questão objetiva compreender tanto a percepção identitária da criança quanto como é abordada a identidade na Educação Infantil da Escola Estadual Maria de Arruda Muller, localizada na Comunidade Negra Rural de Abolição – município de Santo Antônio de Leverger/MT. A referida escola faz parte do quadro das escolas quilombolas da rede estadual de ensino em Mato Grosso, ofertando as etapas Ensino Fundamental e Médio, nas modalidades Regular, Educação de Jovens e Adultos, Educação especial, e a Educação Infantil mediante parceria com a rede municipal de ensino de Santo Antônio de Leverger/MT, e ainda, a Educação Escolar Quilombola que deve compreender todas as suas etapas e modalidades. O panorama de estudos, das principais plataformas de teses, dissertações e artigos referentes ao quadriênio 2014-2017, realizados no Brasil a partir da Educação Infantil no contexto quilombola evidencia a carência de pesquisas considerando as abordagens identitárias nessa etapa. Quanto aos procedimentos metodológicos, trata-se de um estudo qualitativo, etnográfico, baseado na corrente interpretativa geertziana, portanto antropológico. Os instrumentos de coleta de dados são a observação participante, entrevista semiestruturada e a análise documental. Os sujeitos de pesquisa que compõem este estudo são a direção e coordenação escolar, a docente da Educação Infantil, os moradores da comunidade e as crianças da Educação Infantil. A inclusão do sujeito criança demanda técnicas apropriadas à sua faixa etária (4 e 5 anos) que contemplem a ludicidade, por meio de imagens e brinquedos estruturados que possibilitem apreender sua percepção identitária e do meio no qual está inserido.  A discussão teórica permeia conceitos e referenciais sobre quilombo, educação escolar quilombola, identidade, teorias da Sociologia da Infância, Diretrizes e Orientações Curriculares para a Educação Infantil e para a Educação Escolar Quilombola a partir dos autores Moura (2001), Castilho (2011), Hall (2006), Corsaro (2003), Sarmento (2004) e Oliveira (2016).  Espera-se que os resultados deste estudo contribuam para avançar as discussões sobre a Educação Infantil no contexto das escolas quilombolas bem como auxiliem a formulação de políticas públicas voltadas a esse contexto.

Palavras-chave


Identidades. Quilombo. Educação Infantil. Educação Escolar Quilombola.

Referências


CASTILHO, Suely Dulce de. Quilombo contemporâneo: educacão, família e culturas / Suely Dulce de Castilho. – Cuiabá: EdUFMT, 2011. 234 p. : il. color.

CORSARO, William. A Pesquisa etnográfica realizada com as crianças de Infância nos EUA e em Itália. Uminho, IEC, 2003a (texto digitado).

GEERTZ, Clifford, 1926- A interpretação das culturas / Clifford Geertz. - l.ed., IS.reimpr. - Rio de Janeiro: LTC, 2008.323p.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

MOURA, Clóvis (org). Os quilombos na dinâmica social do Brasil. Maceio: EDUFAL, 2001. 378.:il. 339-351.

OLIVEIRA, Osvaldo Martins (Org.) et al. Direitos quilombolas & dever de Estado em 25 anos da Constituição Federal de 1988. 1. ed. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia, 2016. 367p.

SARMENTO, M.J.; CERISARA, A.B. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: Asa, 2004.