Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
PERCURSO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
Elaine Cristina Silva, Evando Carlos Moreira

Última alteração: 30-09-18

Resumo


Este texto tem como objetivo apresentar uma síntese do percurso do Projeto Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da Universidade Federal de Mato Grosso - PIBID/UFMT. Trata-se de um recorte do capítulo teórico da dissertação de mestrado desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMT. O PIBID é uma política pública que visa o aperfeiçoamento da formação de docentes em nível superior e a melhoria da qualidade da Educação Básica pública brasileira. Nossa análise fundamentou-se nos editais, projetos e relatórios publicados pela CAPES e pela UFMT entre 2007-2018. O PIBID/UFMT iniciou suas atividades em 2009-2010, com os subprojetos de Química, Física, Biologia e Matemática, nos campi de Cuiabá e Rondonópolis, envolvendo aproximadamente 120 bolsistas. Em 2009 foram incorporados subprojetos nas áreas de linguagens e ciências humanas, tais como: Letras Português, Pedagogia, Letras Inglês, Filosofia e Sociologia, nos campi de Cuiabá, Médio Araguaia e Rondonópolis, aumentando aproximadamente 70 bolsistas. Dois anos depois, renovou parcerias e incorporou os subprojetos de História, Geografia, Ciências Naturais e Matemática (Sinop). Em 2012, a CAPES concedeu 19.000 novas bolsas e aprovou os subprojetos de Educação Física, Letras Inglês e Música. No ano de 2013, com o encerramento da vigência dos editais anteriores, foi lançada uma nova seleção geral (2014-2017), aonde foram aprovados todos os subprojetos antecedentes, acrescido das áreas de Libras, Espanhol e Francês (Cuiabá) e os subprojetos à distância, no âmbito UAB, de Pedagogia (Alto Araguaia, Barra do Bugres, Guarantã do Norte e Jauru Cruzeiro) e Letras Português (Colíder, Lucas do Rio Verde e Primavera). Assim, o PIBID/UFMT atingiu entre os anos de 2014 à 2017, 38 subprojetos; 17 áreas do conhecimento; 4 campi da UFMT; 11 municípios de Mato Grosso; 30 escolas parceiras e 679 bolsas, distribuídas entre coordenadores de gestão educacionais, coordenadores de área, supervisores e iniciação à docência. Em maio de 2018, a CAPES publicou o resultado final das IES habilitadas e cotas de bolsas aprovadas em novo edital, previsto para os próximos 18 meses. Das 45.000 bolsas concedidas, 585 foram direcionadas para o PIBID/UFMT. Tal diminuição é justificada pela presença do Projeto Residência Pedagógica que também foi aprovado na universidade e pelo encerramento dos subprojetos de letras Francês (Cuiabá), Pedagogia e Letras Português da modalidade à distância, no âmbito UAB, totalizando 30 subprojetos, em 4 campi da UFMT. Não tivemos acesso ao número de escolas parceiras. Independente da redução de subprojetos e de bolsas é inegável reconhecer o quanto o PIBID tem contribuído não só para formação de professores, mas também para os cursos de licenciatura, as escolas parceiras e seus alunos, bem como para o estreitamento das relações entre IES e escola pública, condição esta, sempre cobrada da sociedade, permitindo a diminuição do abismo entre o mundo acadêmico e a realidade social da escola.


Palavras-chave


PIBID; formação de professores; Educação Básica.