Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Associação da variante genética rs9939609 do gene FTO com a perda de peso em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica.
Carolina Giraron Dinarte Moreira

Última alteração: 03-10-18

Resumo


Resumo: A obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública no mundo e está associada a substancial morbidade e prejuízos econômicos. Nas últimas décadas, a prevalência de obesidade tem aumentado em diversos países, quase duplicando nos últimos anos e em 2017, 54,0% dos brasileiros estava com excesso de peso. A etiologia da obesidade é bastante complexa, o qual envolve a interação entre fatores genéticos e ambientais, tornando desafiador o seu tratamento. A cirurgia bariátrica é uma opção eficaz para o tratamento da obesidade grave devido às modificações anatômicas e hormonais que resultam em menor ingestão energética e, consequentemente, perda de peso. Fatores intrínsecos e extrínsecos ao paciente, os quais nem sempre são conhecidos, é que determinam a redução do peso corporal. Neste sentido, os polimorfismos genéticos estão entre os fatores que precisam ser explorados, uma vez que diversos estudos mostram que a predisposição à obesidade, a resistência à perda de peso após tratamento dietético ou cirúrgico e a manutenção da perda de peso podem ser determinados geneticamente. Diante do exposto, o objetivo do estudo foi avaliar a associação do polimorfismo rs 9939609 do gene FTO e a perda de peso após a cirurgia bariátrica realizada por Bypass Gastrico em Y de Roux. Foram avaliados 14 pacientes que realizaram cirurgia bariátrica há pelo menos 1 ano no Hospital Metropolitano de Várzea Grande – MT. Os dados antropométricos e bioquímicos pré e pós-cirurgia foram obtidos no prontuário eletrônico do hospital. A Síndrome metabólica foi diagnosticada segundo o critério da AHA. A extração do DNA genômico foi realizado a partir de amostras de sangue periférico, utilizando kit comercial e a genotipagem foi realizada por meio da técnica da reação em cadeia do DNA polimerase (PCR) em tempo real. A amostra foi constituída por predominantemente por mulheres (92,6%), com idade média de 45 anos (22 – 57 anos). A síndrome metabólica estava presente em 42,86% dos pacientes, os quais apresentaram maiores concentrações de glicose, triglicerídeos e menores de HDL-c ou faziam uso de medicamentos. Em relação ao genótipo dos pacientes, verificou-se que 57,14% eram heterozigoto AT, 35,71% homozigoto TT e 7,14% homozigoto AA. Observou-se que, aos 12 meses pós-operatório, 64,2% dos pacientes apresentaram perda do excesso de peso superior a 50%, sendo que a media dessa perda foi de 51,43%. Os dados da perda do excesso de peso aos 24 meses pós-operatório mostram que apenas 50% dos pacientes apresentaram perda de peso satisfatória após a realização da cirurgia bariátrica. Não foi possível correlacionar os dados encontrados com o genótipo do gene FTO pela limitação no numero da amostra.

Palavras chave: obesidade, perda de peso, gene FTO, cirurgia bariátrica.