Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
MODULAÇÃO DE PARÂMETROS INFLAMATÓRIOS EM PACIENTES COM POLIMORFISMO NO GENE FTO
Aline Souza de Moraes Heredia

Última alteração: 03-10-18

Resumo


Autores: Aline Souza de Moraes Heredia¹, Vanessa Cristina Arantes².

¹Universidade Federal de Mato Grosso. Programa de Pós-graduação em Nutrição, Alimentos e Metabolismo; ²Universidade Federal de Mato Grosso. Faculdade de Nutrição. Departamento de Nutrição e Alimentos.

 

Palavras-chave: Obesidade, inflamação, tecido adiposo, cirurgia bariátrica.

 

Introdução: A obesidade é um problema de saúde pública por gerar inúmeros riscos como Diabetes mellitus, doenças cardiovasculares e câncer, além disso, pessoas obesas apresentam uma inflamação de baixo grau. O gene da massa gorda e obesidade (FTO) contribuem de forma significativa para o aumento da obesidade em humanos e isso já está claramente definido. Entretanto, se existe uma relação entre o gene FTO e marcadores inflamatórios ainda não está claro, já que os estudos são controversos. Diante disso, hipotetizamos que a presença do polimorfismo do gene FTO pode alterar parâmetros inflamatórios em pacientes obesos após a cirurgia bariátrica.

Objetivo: Analisar a associação do gene FTO com a modulação de parâmetros inflamatórios antes e seis meses após cirurgia bariátrica.

Métodos: Trata-se de um estudo caso-controle, a ser realizado no Hospital Metropolitano de Várzea Grande, no estado de Mato Grosso. As coletas serão realizadas entre o segundo semestre de 2018 e o primeiro semestre de 2019. As coletas só serão realizadas após assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido. Será coletado uma amostra de sangue para genotipagem no pré-operatório e duas amostras de tecido adiposo visceral (TAV) e subcutâneo (TAS) durante o intraoperatório para verificação de marcadores inflamatórios, dados antropométricos e clínicos também serão coletados. Todas as coletas acontecerão antes e seis meses após a cirurgia exceto amostras de TAV e TAS do grupo controle que só serão coletados uma única vez. O estudo será composto de 100 pacientes com idade entre 19 a 59: 50 eutróficos (IMC <25 kg / m²) e 50 pacientes com obesidade mórbida (IMC> 40 kg / m²). Em cada cirurgia amostras serão obtidas pelo mesmo especialista. O tecido subcutâneo será retirado do hipocôndrio direito e a amostra do TAV da região do epiploon maior. Critérios de exclusão: doença aguda ou crônica, inflamatória ou infecciosa e doença terminal. Será realizado a técnica de coloração de Hematoxilina-Eosina (H/E) para analisar a morfologia dos adipócitos e a Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) a fim de verificar a expressão de RNAm de adipocinas que ainda estão em fase de teste para definição.

Palavras-chave


Obesidade, inflamação, tecido adiposo, cirurgia bariátrica.