Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Potencial alelopático de Tocoyena formosa (Cham. & Schltdl.) K. Schum.–Rubiaceae
Sharmely Hilares Vargas, Maria de Fatima Barbosa Coelho, Carla Spiller

Última alteração: 23-10-18

Resumo


Tocoyena formosa (Cham. & Schlechtd.) K. Schum. (Rubiaceae) é uma espécie lenhosa de porte arbustivo-arbóreo, com altura de até 10 metros que ocorre no Cerrado. As plantas possuem compostos orgânicos produto do metabolito secundários capazes de interferir no desenvolvimento de outras espécies. Objetivou-se avaliar o efeito alelopático do extrato aquoso de folhas de Tocoyena formosa (Cham. & Schltdl.) K.Schum sobre a germinação e desenvolvimento inicial de aquênios de alface (Lactuca sativa L). O extrato aquoso base para cada espécie foi obtido a partir de 50g de folhas frescas e 500mL de agua destilada. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado, com cinco concentrações de cada extrato: 0% (controle), 25 %, 50 %, 75% e 100 %, e quatro repetições de 25 sementes cada. Os bioensaios foram realizados nas condições controladas de temperatura e luminosidade (20°C e 12h fotoperiodo) durante 7 dias. Todas as concentrações foram caracterizadas quanto ao pH e o potencial osmótico. Avaliou-se, para a germinação os parâmetros: porcentagem de germinação, velocidade de germinação e porcentagem de plantas anormais; e para crescimento inicial: biomassa seca e comprimento (da raiz e da parte aérea) das plântulas de alface. O extrato aquoso da espécie T. formosa não afetou os parâmetros de germinação ao compará-lo com o controle. Verificou-se diminuição no comprimento da parte aérea, da raiz, e diminuição da biomassa seca das plântulas a partir da concentração 25% do extrato. As características físico-químicas dos extratos encontraram-se dentro dos parâmetros estabelecidos. O índice de resposta alelopático foi inibitório sendo de -0.1 na concentração de 75%. Os extratos foliares de T. formosa apresentam potencial alelopático no crescimento inicial de plântulas de alface.

Palavras-chave


Lactuca sativa L.; crescimento inicial, germinação, extrato aquoso