Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Associação entre a Capacidade Antioxidante Total da dieta e indicadores de risco cardiovascular em adultos com alteração do perfil lipídico: teste piloto.
Júlia Gonçalves Domingues, Ana Carolina Pinheiro Volp, Sílvia Regina de Lima Reis, Letícia Sayuri Adama Costa

Última alteração: 03-10-18

Resumo


Dentre as doenças crônicas, as doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade, no Brasil e no mundo, e as dislipidemias estão entre os principais fatores de risco para o seu desenvolvimento. O estresse oxidativo também desempenha papel importante na patogênese das doenças crônicas sendo que a dieta tem sido considerada o principal contribuinte externo para a regulação do estado antioxidante sérico. No estudo dos antioxidantes presentes na dieta e seus efeitos na saúde, um instrumento utilizado é a Capacidade Antioxidante Total da dieta(CATd). Tem-se como objetivo avaliar a associação entre a CATd com indicadores de risco cardiovascular em adultos com alterações do perfil lipídico. Trata-se de um teste piloto de um estudo transversal, no qual foram consideradas alterações do perfil lipídico a presença de um ou mais do seguinte dados séricos: lipoproteína de alta densidade(HDL) menor que 40mg/dl, lipoproteína de baixa densidade maior que 129mg/dl, triglicerídeos maior que 149mg/dl, colesterol total maior que 199mg/dl e/ou colesterol não-HDL maior que 159mg/dl. Parâmetros antropométricos, clínicos e bioquímicos foram medidos e analisados usando protocolos previamente padronizados e descritos na literatura. As informações de consumo alimentar foram obtidas por meio de um questionário de frequência alimentar validado para a população de adultos cuiabana e a partir deste, foi avaliado a CATd que foi estimada baseando-se em tabelas contendo seus valores com base no ensaio Ferric Reducing Antioxidant Power (FRAP), e expressa como mmol de equivalentes de trolox por 100 gramas de alimento (mmolTE /100g). Para tratamento estatístico dos resultados utilizou-se o programa SPSS 22.0. Para avaliar as tendências de associações de valores de CATd e os indicadores de risco cardiovascular, esse índice foi categorizado em três grupos, e as comparações entre eles foram realizadas por meio de testes de qui-quadrado(variáveis categóricas). Considerou-se o nível de significância estatística de 5% de probabilidade. Tal projeto foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Júlio Muller de Cuiabá, Mato Grosso. Foram avaliados 37 indivíduos, sendo 68% do sexo feminino com idade média de 39 anos (±10,6). Os valores de CATd variaram entre 4,60 e 87,7 mmolTE/100g por dia, sendo que fizeram parte do grupo 1 os indivíduos com valores menores que 15,19 mmolTE/100g; grupo 2 com valores entre 15,19 e 29,24mmolTE/100g; e grupo 3 com valores de CATd maiores que 29,24mmolTE/100g. Os sujeitos incluídos no grupo de valores mais alto de CATd são do sexo masculino, em comparação ao grupo de valores mais baixo composto predominantemente por mulheres (44,0; x2=6,870; p=0,032), e apresentam risco cardiovascular pela relação entre colesterol total e HDL (60,0%; x2=7,748; p=0,021). Conclui-se que os valores CATd são inversamente associados com alguns fatores de risco cardiovascular. Entretanto, é necessário um estudo com amostra maior.

Palavras-chave


Doenças Cardiovasculares; Estresse Oxidativo; Capacidade Antioxidante Total.

Referências


CARLSEN, M. H.; HALVORSEN, B. L.; HOLTE, K.; BOHN, S. K.; DRAGLAND, S.; SAMPSON, L, et al. The total antioxidant content of more than 3100 foods, beverages, spices, herbs and supplements used worldwide. Nutr J. v.9, n. 3, 2010.

HERMSDORFF, H. H.; BARBOSA, K. B.; VOLP, A. C.; PUCHAU, B.; BRESSAN, J.; ZULET, M. A. et al, Vitamin C and fibre consumption from fruits and vegetables improves oxidative stress markers in healthy young adults. Br J Nutr. v. 8, p. 1119–1127, 2012.

HERMSDORFF, H. H. M. et al. Dietary total antioxidant capacity is inversely related to central adiposity as well as to metabolic and oxidative stress markers in healthy young adults. Nutrition & Metabolism, v. 6, n. 59, 2011.

KOEHNLEIN, E. A.; BRACHT, A.; NISHIDA, V.S.; PERALTA, R. M. Total antioxidant capacity and phenolic content of the Brazilian diet: a real scenario. Int J Food Sci Nutr. v. 65, n.3, p.293-8.

OKUBO, H.; SYDDALL, H. E.; PHILLIPS, D. I.; SAYER, A. A.; DENNISON, E. M.; COOPER, C. Dietary total antioxidant capacity is related to glucose tolerance in older people: the Hertfordshire Cohort Study. Nutr Metab Cardiovasc Dis. v. 24, n.3, p.301-8, 2014.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose. Arq Bras Cardiol. v. 109, nº 2, Supl. 1,  2017.

WANG, Y.; YANG, M.; LEE, S. G.; DAVIS, C. G.; KOO, S. I.; CHUN, O. K. Dietary total antioxidante capacity is associated with diet and plasma antioxidant status in healthy young adults. J Acad Nutr Diet. v. 112, n. 10, p. 1626-35, 2012.