Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
“Modernizar, Ordenar, Progredir”: a província de Mato Grosso no contexto do Primeiro Reinado e Regências (1822-1840)
Patrícia Figueiredo Aguiar

Última alteração: 22-11-18

Resumo


O presente trabalho desenvolveu um estudo sobre a província de Mato Grosso, na primeira metade do século XIX (1822-1840), no qual se analisam as estratégias construídas para moldar, ordenar e transformar o cenário provincial através da concepção de modernidade, ordem pública e progresso que juntos eram percebidos como as estratégias necessárias para o alcance da civilização. Dessa forma, objetiva-se responder a seguinte questão: como os discursos ordenadores vindos do governo imperial moldaram e redesenharam práticas e representações na província de Mato Grosso? Para responder à questão principal a pesquisa privilegiou o debate historiográfico e análise de fontes documentais, tais como: relatórios de ministros da justiça e presidentes de província; Constituição Política do Império do Brasil (1824); Decretos, Cartas Régias e Alvarás; Código Criminal do Império do Brasil (1830); Código de Processo Criminal do Império (1832); Livros de Registro; Ofícios; Requerimentos; Cartas, entre outros tipos documentais pesquisados em arquivos históricos, bibliotecas e acervos digitais. A pesquisa permitiu obter informações acerca do Estado-Nação em seus primeiros momentos, assim como sobre a província mato-grossense, constatando que os discursos relacionados às cadeias, instrução pública, força pública, caridade, catequese dos índios, comunicação e transportes, tranquilidade e saúde pública, entre outros temas, estavam diretamente relacionados às estratégias e ações para o estabelecimento de um modelo de ordem e tranquilidade, que de uma forma ou de outra se relacionavam com a tentativa de direcionamento moral do brasileiro que se pretendia formar na primeira metade do século XIX.

Palavras-chave


Modernização; Ordem; Cadeia; Códigos de Postura

Referências


BASILE, Marcello. Sociabilidade e ação políticas na Corte regencial: a Sociedade Defensora da Liberdade e Independência Nacional. Revista de História (UFES)Dimensões, v. 18, p. 349-383, 2006.

CARVALHO, José Murilo de. A Construção da ordem: a elite política imperial; Teatro de sombras: a política imperial. 4ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

COSTA, Emilia Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. 9ª. ed. São Paulo: Fundação Editora da Unesp, 2010.

COSTA, Vivian Chieregati. Codificação e formação do Estado-nacional brasileiro: o Código Criminal de 1830 e a positivação das leis no pós-independência. 2013. 361f. Dissertação (Mestrado em História). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), Universidade de São Paulo, São Paulo- SP, 2013.

DOLHNIKOFF, Miriam. O pacto Imperial: origens do federalismo no Brasil do século XIX. São Paulo: Globo, 2005.

GALETTI, Lylia da Silva Guedes. Sertão, Fronteira, Brasil: imagens de Mato Grosso no mapa da civilização. Cuiabá: EdUFMT / Entrelinhas, 2012.

 

MATTOS, Ilmar Rohloff de.  O Tempo Saquarema: a formação do estado imperial. São Paulo: Hucitec, 1987.

____________________. Do Império do Brasil ao Império do Brasil. In: Faculdade de Letras da Universidade do Porto. (Org.). Estudos em homenagem a Luís Antonio de Oliveira Ramos. 1º ed. Porto: Universidade do Porto, 2004, v. 2, p. 727-736.