Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
DESCRITORES MORFOLÓGICOS PARA CARACTERIZAÇÃO DE CLONES DE TECA (Tectona grandis L.f.)
Jorge Reategui

Última alteração: 22-10-18

Resumo


A seleção e a identificação de genótipos de plantas florestais cultivadas constituem-se ferramentas importantes nos programas de melhoramento e são essenciais nos processos de proteção de cultivares. A adequada qualificação e a diferenciação das cultivares possibilitam o registro e a garantia da propriedade intelectual dos materiais selecionados. A teca (Tectona grandis L.f.), é uma espécie florestal que está sendo expandido no Brasil, com certo grau de melhoramento, assim, pode ser incentivado proteger genótipos superiores de acordo com os requisitos da lei brasileira. Para registrar um genótipo, este deve ser fruto de melhoramento genético e ser passível de identificação, por meio de características morfológicas que apresentem distinguibilidade, homogeneidade e estabilidade (DHE). Assim, este trabalho teve como objetivo identificar possíveis descritores morfológicos para diferenciar clones de teca em plantações. Para estabelecer os descritores morfológicos mínimos para clones de teca, avaliou-se 42 características qualitativas e quantitativas previamente estabelecidas, relacionadas principalmente aos ramos, folhas e tronco em 18 clones, em delineamento de blocos ao acaso (DBC), constituído por 3 blocos, com avaliação de 5 indivíduos de cada clone por bloco. As avaliações dos descritores morfológicos no experimento foram feitas em duas etapas: junho de 2017 (2 anos de idade) e junho de 2018 (3 anos de idade). As informações foram organizadas com base nas matrizes de presença e ausência e posteriormente estimou-se medidas de similaridade genética, através do índice de Jaccard pelo método UPGMA. Com isso, 33 características permitiram a distinção para clones de 2 anos de idade e 35 características para clones de 3 anos de idade. Cada uma das características foi identificada com um código em função das suas características morfológicas. Dessas características apenas 13 apresentaram DHE e são denominados descritores morfológicos mínimos para a caracterização de clones de teca nas duas idades e podem ser utilizados no processo de proteção de cultivares.