Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
DE AMORES E DESAMORES EM VALTER HUGO MÃE
Sidnei Alves da Rocha

Última alteração: 17-10-18

Resumo


O presente projeto de pesquisa tem por objetivo o estudo da representação do amor nas obras A desumanização (Biblioteca Azul, 2017), A máquina de fazer espanhóis (Biblioteca Azul, 2016), Homens imprudentemente poéticos (Biblioteca Azul, 2016), O apocalipse dos trabalhadores (Biblioteca Azul, 2017), O filho de mil homens (Biblioteca Azul, 2016), O nosso reino (Editora 34, 2016) e O remorso de Baltazar Serapião (Biblioteca Azul, 2016), do escritor português Valter Hugo Mãe, com análise de suas nuances desdobradas em várias perspectivas que envolvem o amor paternal, o amor fraternal, o amor carnal, o amor a Deus e as diversas faces do desamor presentes nas obras. O desenvolvimento do projeto contará com pesquisas bibliográficas que abarcam especialmente as reflexões sobre o romance contemporâneo, o panorama da literatura portuguesa contemporânea, a fortuna crítica do escritor, o conceito de “amor” ao longo da história e sua presença na literatura e as construções narrativas do escritor para criar as representações do amor nas obras em análise, ancoradas em algumas vertentes do pensamento teórico de nomes importantes do comparativismo, da lírica e do romance como Adorno, Auerbach, Bakhtin, Benjamin, Genette, Candido e do pensamento crítico em relação à literatura e suas vertentes de Calvino, Compagnon, Tezza, Paz, entre outros, bem como de recortes do arcabouço da fortuna crítica referente ao autor e sua obra. Este trabalho justifica-se pelo estudo das narrativas de escritor de relevância em Língua Portuguesa como o é Valter Hugo Mãe e busca preencher uma lacuna em sua fortuna crítica atual por meio da leitura comparatista do conjunto de seus romances. Assim, algumas perguntas de pesquisa elaboradas são: em que medida as imagens poéticas contribuem para a tessitura da prosa e qual a sua importância em romances como os ora analisados? Como são marcados os sentimentos de amor e desamor nas narrativas e em que medida a construção das personagens, de seus diálogos e de suas ações possibilitam a estruturação e o desenvolvimento das temáticas em questão? Como as práticas de oralidade funcionam nos romances como estratégias narrativas do escritor? São respostas a perguntas como essas que se pretende buscar, levando em conta a tênue linha que separa amor e desamor, humanização e desumanização, alegrias e tristezas, vida e morte, corpo e alma, às vezes como antíteses, às vezes apresentadas como paradoxos por meio de sentimentos e ações que se fundem e criam sensações diversas no leitor.

Palavras-chave


Valter Hugo Mãe; Amor; Comparativismo; Desamor; Morte.

Referências


ADORNO, T. W. Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades, Editora 34, 2003.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas na poética de Dostoiévski. Tradução Paulo Bezerra. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1981.

______. Questões de literatura e estética: A teoria do romance. 7. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

______. Teoria do Romance I: A estilística. São Paulo: Editora 34, 2015.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987 (Obras escolhidas, v. 1).

______. O narrador. In: Os pensadores. Textos escolhidos/Walter Benjamin, Max Horkheimer, Theodor W. Adorno, Jürgen Habermas. Tradução: José Lino Grünnewald... [ et al.]. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

CANDIDO, A. A personagem de ficção. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1970.

______. Literatura e sociedade. 9 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

______. O direito à literatura. In: Vários escritos. 5. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre o azul, 2011. p. 171-193.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio: lições americanas. Tradução de Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

CARVALHAL, T. F.; COUTINHO, E. (Orgs.). Literatura comparada: textos fundadores. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

CARVALHAL, T. F. Literatura comparada. São Paulo: Ática, 2006.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para quê? Tradução de Laura Teddei Brandini. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

______. O demônio da teoria: Literatura e senso comum. Belo Horizonte. Editora UFMG, 1999.

MÃE, Valter Hugo. A desumanização. 2. ed. São Paulo: Biblioteca Azul, 2017.

______. A máquina de fazer espanhóis. 2. ed. São Paulo: Biblioteca Azul, 2016.

______. Homens imprudentemente poéticos. São Paulo: Biblioteca Azul, 2016.

______. O apocalipse dos trabalhadores. 2. ed. São Paulo: Biblioteca Azul, 2017.

______. O filho de mil homens. 2. ed. São Paulo: Biblioteca Azul, 2016.

______. O nosso reino. São Paulo: Editora 34, 2016.

______. O paraíso são os outros. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

______. O remorso de Baltazar Serapião. São Paulo: Biblioteca Azul, 2016.

MONTAIGNE, Michel de. Ensaios. Tradução de Sérgio Milliet. São Paulo: Editora 34, 2016.

PAZ, Octavio. O arco e a lira. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

______. O labirinto da solidão. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

______. Os filhos do barro. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2014a.

______. Signos em rotação. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

TEZZA, Cristovão. Entre a prosa e a poesia: Bakhtin e o formalismo russo. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.

WATT, Ian. A ascensão do romance: estudos sobre Defoe, Richardson e Fielding. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.