Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR EXPERIENTE NO PROJETO OBEDUC E OS REFLEXOS EM SUAS PRÁTICAS A PARTIR DAS PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES INICIANTES
ELIZABETE GASPAR DE OLIVEIRA

Última alteração: 20-10-18

Resumo


Esta pesquisa está inserida no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) da Universidade Federal de Mato Grosso, Câmpus Universitário de Rondonópolis (UFMT/CUR), na linha de pesquisa intitulada Formação de professores e políticas públicas educacionais, desenvolvida pelo Grupo de pesquisa Investigação junto ao projeto de Observatório da Educação OBEDUC/UFMT/CUR. O presente estudo aborda o trabalho de acompanhamento do coordenador pedagógico/professor experiente ao professor iniciante no período de inserção na carreira docente. Tal fase é marcada por dúvidas, angústias e medos, ajustamentos, interações e tomada de decisões em relação à carreira docente. O trabalho de receber, acompanhar e assessorar o docente iniciante desenvolvido pelo professor experiente/coordenador pedagógico pode contribuir para o enfrentamento dos desafios e dilemas presentes no início da carreira e possibilita a reflexão crítica das práticas no interior da escola. Nesse cenário, esta pesquisa teve como objetivo analisar como as professoras experientes e iniciantes resignificam suas compreensões acerca de suas práticas a partir da participação na formação continuada em grupo colaborativo universidade/escola do projeto OBEDUC/UFMT/CUR. As questões orientadoras desta investigação são as seguintes: como o professor iniciante concebe o trabalho do professor experiente no acompanhamento da sua prática?   De que forma o professor experiente se vê nesse processo de acompanhar o professor iniciante? Tendo como orientação metodológica a pesquisa de abordagem qualitativa, os dados foram coletados a partir de entrevista narrativa com duas professoras iniciantes e duas coordenadoras pedagógicas/professoras experientes que participaram das formações ofertadas pelo projeto. Os dados foram analisados a partir de um único eixo: Percepção do professor iniciante e experiente sobre o acompanhamento na prática pedagógica. Os dados revelam que os coordenadores pedagógicos das escolas denominados de professores experientes, apesar de terem tempo de profissão,  apresentam dificuldades para o atendimento às demandas dos iniciantes. Outro ponto relevante que os resultados evidenciaram foi a solicitação de formação dos experientes para orientarem, subsidiarem e realizassem o acompanhamento aos iniciantes, o que foi atendido pelo OBEDUC, com saldos positivos.


Palavras-chave


Formação de professores. OBEDUC/UFMT/CUR. Professores Iniciantes e professores experientes.

Referências


ALARCÃO,Isabel (Org.) Escola Reflexiva e Nova Racionalidade.Porto Alegre:Artmed, 2001.

ALMEIDA, L. R.; PLACCO, V. M. N. S. O Papel do coordenador pedagógico. Revista Educação, São Paulo, v. 12, n. 142, p. 7-11, fev. 2009.

 

BRASIL, Ministério da educação: Parecer CNE/CEB 11/2000. Disponível em http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 05 de dezembro de 2017.

BRASIL, LDB. Lei 5692/71 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em < www.planalto.gov.br >. Acesso em: 05 de dezembro de 2017.

 

BRASIL, Ministério da Educação: RESOLUÇÃO Nº 2, DE 1º DE JULHO DE 2015. Disponível em http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 12 de maio de 2018.

 

BRASIL, Ministério da educação: Parecer CNE/CEB 11/2000. Disponível em http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 05 de dezembro de 2017.

 

BRASIL, LDB. Lei 5692/71 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em < www.planalto.gov.br >. Acesso em: 05 de dezembro de 2017.

 

BRASIL, Senado Federal. Lei de Diretrizes de Bases da Educação Nacional: Lei 9.394/96: Brasília, 1996.

 

CARVALHO, Ademar de Lima. A Mediação do Trabalho Pedagógica na Escola: A Práxis da Coordenação Pedagógica. In:____ Coordenação Pedagógica: princípios, prática e utopia. Curitiba, PR, 2017, p 115 – 129.

CONTRERAS, José: Autonomia de professores / José Contreras; tradução de Sandra Trabucco Valenzuela ; revisão técnica, apresentação e notas à edição brasileira Selma Garrido Pimenta. – São Paulo: Cortez, 2002.

 

CUNHA, Maria Isabel. Conta-me AGORA! As narrativas como alternativas pedagógicas na pesquisa e no ensino. Revista da Faculdade de Educação. vol 23. São Paulo: Loyola, Jan./Dez., 1997.

 

CLEMENTI, N. A voz dos outros e a nossa voz: alguns olhares que intervém na atuação do coordenador. In: ALMEIDA, L. R.; PLACCO, V. M. N. de (Orgs.). O coordenador pedagógico e o espaço da mudança. 6ª Ed. São Paulo: Loyola, 2001, p. 53 – 66.

 

DOMINGUES, Isaneide. A Pedagogia e a Formação Inicial do Coordenador Pedagógico. In _____ O Coordenador Pedagógico E A Formação Contínua do Docente na Escola. São Paulo, SP: Editora Cortez,  2014, p.27 – 61.

 

FERREIRA, Naura Syria Carapeto. Supervisão Educacional: Uma reflexão crítica. 13ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

FURASI, José Cerchi. Formação continua de educadores na escola. In: BRUNO, Eliane Bambino. A. (Org.) O coordenador pedagógico e a formação docente. 5 ed. São Paulo: Loyola, 2004.

 

 

FRANCO, Maria Amélia do Rosario Santoro; Da Pedagogia à coordenação pedagógica: um caminho a ser re-desenhado. In:_____A coordenação do trabalho pedagógico na escola: processos e práticas / Maria Amélia Santoro Franco, Elisabete F. Esteves Campos (Organizadoras). Santos (SP) : Editora Universitária Leopoldianum, 2016,p. 15-32.

 

FREIRE, P.; SHOR, I. Medo e ousadia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003, 10ª ed.

 

GATTI, B.A. e NUNES, M.M.R.(orgs.) Formação de professores para o ensino

fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa,

Matemática e Ciências Biológicas. São Paulo: FCC/DPE, 2009.

 

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S.; ANDRÉ, M. E.D. A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: Unesco, 2011.

GERALDI,Pimenta Maria Grisolia:Cartografia do Trabalho Docente.In OEREIRA, Elizabete Monteiro De A. (Org).Professor(A)- Pesquisador(A).Campinas:Mercado de Letras, 1998.

 

 

IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional: Formar-se para a mudança e a incerteza.9 ed.São Paulo, SP: Ed Cortez, 2011.

 

___________A Formação a partir de dentro. O que é a formação em escolas e não nas escolas? Tradução: Silvana Cobucci Leite In:___Qualidade do Ensino e Formação do Professorado uma mudança necessária. Ed Cortez, São Paulo, 2016, p.149-152.

 

LARROSA, Jorge B. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação. Nº 19, p. 20-28, 2002.

MARCELO, Garcia, C. VAILLANT, Denise. Desarrollo professional docente: como se aprende a enseñar? 3. ed. Madrid/España: Narcea, 2013.

 

_______________. Desenvolvimento Profissional Docente: passado e futuro. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 08, pp. 7-22, 2009.

 

________________. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Formação Docente. v. 03, n. 03, p. 11-49, 2010

_________________. Formação e professores: para uma mudança educativa. Porto, PT: Porto Editora, 1999.

 

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Aprendizagem da docência: professores formadores. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 1, n. 1, dez- jul. 2005-2006.

 

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti; REALI, Aline Maria de M. Rodrigues;

 

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti; REALI, Aline Maria de M. Rodrigues. Práticas profissionais, Formação inicial e diversidade: análise de uma proposta de ensino e 162.

 

___________ ,aprendizagem. In: MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti; REALI, Aline

Maria de M. Rodrigues. Aprendizagem profissional da docência. São Carlos: EdUFSCar, 2002, cap. 5.

 

MIZUKAMI, Maria da Graça N. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de L.S. Shulmann. V. 29, n. 2, 2004.

 

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti; REALI, Aline Maria de M. Rodrigues; TANCREDI, Regina Maria Simões Puccinelli. Desenvolvimento profissional de professoras iniciantes e experientes: o programa de mentoria on-line do portal dos professores da UFSCar. Anais: II Congreso Internacional sobre profesorado principiante e inserción profesional a la docência: El acompañamiento a los docentes noveles: prácticas y concepciones. Buenos Aires, del 24 al 26 de febrero de 2010.

 

NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. Porto, Portugal: Porto Editora, 2013. 215 p.

_______________, Firmar a Posição como Professor, Afirmar a Profissão Docente. Cadernos de Pesquisa. Fundação Carlos Chagas. São Paulo, V.47 N.166,  Outubro/Dezembro, 2017.

 

PASSEGGI, M. C.; BARBOSA, M. N. (Org.) Memórias, memoriais: pesquisa e formação docente. Natal, RN: EDUFRN, São Paulo: Paulus, 2008.

 

PASSEGGI, M. C.; VICENTINI, Paula Perin; SOUZA, Elizeu Clementino. Pesquisa (Auto)biográfica: Narrativas de si e formação. Curitiba: CRV, 2013.

Políticas e Referenciais Metodológicos: Políticas de formação Continuada.

Rondonópolis. Secretaria Municipal de Educação. Gestão democrática, coordenação e assessoria pedagógica Rondonópolis, MT: SEMED, 2016, vl. 2.

 

PLACCO, Vera Maria N. de Souza; SOUZA, Vera Lúcia Trevisan de.; ALMEIDA, Laurinda Ramalho de. O coordenador pedagógico (CP) e a formação de professores: intenções, tensões e contradições. Estudos & Pesquisas Educacionais – Fundação Victor Civita, 2011.

 

PORTARIA nº 152, de 30 de outubro de 2012. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_152_30out12_Regulamento_OBEDUC.pdf>. Acesso em: ago. 2018.

 

RANGEL, Mary. Supervisão e orientação Educacional: Concepções e práticas conjuntas. In: RANGEL, Mary (org). Supervisão e gestão na escola: conceitos e práticas de mediação. Campinas, SP: Papirus, 2009.

 

RONDONÓPOLIS, SEMED. Professores iniciantes: Dialogando acerca dos conceitos, dos métodos e das

práticas docentes. Rondonópolis/MT. 2015.

 

RONDONÓPOLIS, Lei Orgânica de Rondonópolis, Mato Grosso: Lei Orgânica de 05 de Maio de 1990.

 

SOUZA, Sueli de Oliveira. O desenvolvimento profissional do professor experiente no projeto colaborativo universidade/ escolas: desafios e necessidades formativas. Dissertação de mestrado -- Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Programa de Pós-Graduação em Educação, Rondonópolis, 2017, 157 fl.

 

TANCREDI, Regina Maria Simões Puccinelli. Mentores e Professores Iniciantes em Interação: possibilidades formativas da educação online. Revista Cet, vol. 01, nº 02, abril/2012.

 

______. Desenvolvimento profissional de professoras iniciantes e experientes: o programa de mentoria on-line do portal dos professores da UFSCar. Anais: II Congreso Internacional sobre profesorado principiante e inserción profesional a la docência: El acompañamiento a los docentes noveles: prácticas y concepciones. Buenos Aires, del 24 al 26 de febrero de 2010.

 

_______. Mentores e professores iniciantes em interação: possibilidades educativas da educação online. Revista Cet, v.1, n.2, 2012. Disponível em. <http://revistacontemporaneidadedeeducacaoetecnologia> 02. Files.Wordpress. Acesso em: 10 de setembro de 2018.

 

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 9. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 20017.

 

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 9 ed. Petropolis/RJ: Vozes, 2014.