Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Fenomenologia transmidiática: cartografando o clima em Mata Cavalo
Thiago Cury Luiz

Última alteração: 07-10-18

Resumo


Este trabalho tem como objetivo apresentar resultados preliminares da nossa pesquisa de Doutorado realizada na Escola Estadual Professora Tereza Conceição de Arruda, na comunidade quilombola de Mata Cavalo. O estudo, situado no Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte (Gpea), envolve 15 estudantes com idades que variam entre 14 e 17 anos. Tendo como metodologia a “Cartografia do Imaginário” (SATO, 2011) e a fenomenologia de Gaston Bachelard (1997; 2001; 2008; 2013), os jovens registraram as ocorrências ambientais do quilombo, contextualizando-as aos quatro elementos da natureza: água, terra, fogo e ar. Baseados em técnicas jornalísticas debatidas e testadas em grupo, produziram conteúdo em quatro mídias distintas: texto, áudio, foto e vídeo. Todo esse material fará parte de uma narrativa transmidiática, que defende a tese de que [1] um tipo de comunicação que não dependa das mídias tradicionais, produzido e compartilhado pelos próprios estudantes no ambiente digital, apresenta o quilombo em suas virtudes histórico-culturais (culinária, plantio, música, artesanato) e prejuízos climáticos, como escassez e má distribuição de recurso hídrico e problemas com queimadas no período de estiagem; e [2] a educomunicação, por meio dos dispositivos móveis, da internet e da inteligência coletiva (JENKINS, 2009), contribui para a dinâmica pedagógica, superando as fronteiras da sala de aula. Alguns dos resultados que identificamos e interpretamos a partir de entrevistas com os estudantes corroboram os pressupostos que defendemos.

Palavras-chave


Narrativa Transmídia; Fenomenologia, Educomunicação; Mata Cavalo; Mudanças Climáticas.