Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
GÊNERO E EDUCAÇÃO: AS REPRESENTAÇÕES DO FEMININO NA ANIMAÇÃO “HORA DE AVENTURA”
PAULA AKEIME UMEKAWA

Última alteração: 20-10-18

Resumo


O presente trabalho tem como proposta apresentar a pesquisa de Mestrado em andamento sobre a animação “Hora de Aventura”, criada pelo animador Pendleton Ward. O objetivo dessa pesquisa está em analisar as representações de feminino a partir dos conceitos de gênero dos estudos de Judith Butler (2017) e Joan Scott (1991). Sendo o objeto da análise as personagens “Princesa Caroço” e a “Princesa Jujuba”, que possuem características e performatividades de gênero diferentes das tradicionais princesas da Disney. Para isso, a pesquisa está embasada a partir do conceito de infância segundo Philippe Ariès (1986), relacionando com os estudos sobre educação de Carlos Rodrigues Brandão (2001). A metodologia está fundamentada na leitura crítica da mídia proposta pelos estudos culturais de Douglas Kellner (2001), que estabelece que a mídia também constrói modos de viver a partir dos seus produtos, portanto, ela pedagogiza a sociedade. Além disso, o conceito de representação a partir do autor Stuart Hall (2016), um construtivista que afirma que é preciso estudar a linguagem para se analisar as representações. Diante disso, serão apresentadas algumas reflexões parciais alcançadas até o momento das análises.


Palavras-chave


Educação; Gênero; Animação; Representação de Feminino; Hora de Aventura.

Referências


ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família / Philippe Ariès; tradução Dora Flaksman. – 2ª. ed. – Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Educação. São Paulo: Editora Brasiliense, 2001.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade / Judith Butler; tradução, Renato Aguiar. – 13ª ed. – Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

HALL, Stuart. Cultura e representação (Stuart Hall). Organização e Revisão Técnica: Arthur Itaussu; Tradução: Daniel Miranda e William Oliveira. – Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: Apicuri, 2016.

KELLNER, Douglas. A cultura da mídia – estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru, SP: EDUSC, 2001.

SCOTT, Joan. Gênero; uma categoria útil para análise histórica. Trad. Christine Rufino Dabat e Maria Betânia Ávila. Do original Gender: An useful category of hystorical analyses. Recife: S.O.S. Corpo, 1991.