Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Restrição proteica durante a prenhez não altera a concentração sérica e pancreática do Peptídeo Semelhante ao Glucagon-1 (GLP-1) nem o conteúdo de insulina pancreática
Edson Henrique Pereira de Arruda

Última alteração: 03-10-18

Resumo


A remodelação constante da massa de das ilhotas pancreáticas é mediada por estímulos proliferativos e apoptóticos, de forma dinâmica às mudanças de demanda de insulina. Estudos têm mostrado que a ruptura desses mecanismos é uma característica essencial na patogênese do diabetes mellitus. A prenhez é uma situação fisiológica associada à expansão reversível da massa de células beta, proporcionada por modificações no equilíbrio entre proliferação e apoptose. Em roedores, a taxa de proliferação das células beta pancreáticas se eleva nos primeiros dois terços da prenhez e a apoptose aumenta a partir do vigésimo dia de gestação. Sabe-se que a restrição proteica em fases iniciais da vida confere uma maior vulnerabilidade das células beta a apoptose na vida adulta. Existem evidências de que o aumento da massa das células beta pancreáticas na prenhez é mediado, em parte por GLP-1, por seus efeitos proliferativos e antiapoptóticos. Assim, o objetivo foi avaliar as concentrações  sérica e pancreática do  GLP-1 e o conteúdo de insulina em pâncreas de ratas prenhes submetidas à restrição proteica . Foram avaliados quatro grupos de ratas adultas: Controle Não Prenhe (CNP)- ratas virgens que receberam dieta normoproteica; Controle Prenhe (CP)- ratas prenhes mantidas com dieta normoproteica; Hipoproteico Não Prenhe (HPNP)- ratas virgens mantidas com dieta hipoproteica (HPNP); Hipoproteico Prenhe (HPP)- ratas prenhes mantidas com dieta hipoproteica (HPP). Os experimentos foram realizados no vigésimo dia de prenhez. Os resultados foram expressos como média ± desvio padrão, e foi utilizada análise de variância (ANOVA), seguida de teste post-hoc para comparação múltipla das médias, quando necessário.A concentração sérica do GLP-1 foi menor nos grupos prenhes em relação aos grupos não prenhes (CNP: 0,11 ± 0,05 pmol/L; CP: 0,072 ± 0,03005 pmol/L; HPNP: 0,072 ±0,03705 pmol/L; HPP: 0,040 ±0,0205 pmol/L). A concentração de GLP-1 pancreático foi menor nos grupos submetidos à restrição proteica independente do estado fisiológico (CNP: 0,48 ± 0,21 pmol/mg proteína; CP: 0,54 ± 0,04 pmol/mg proteína; HPNP: 0,52 ± 0,07 pmol/mg proteína; HPP: 0,51 ±0,08 pmol/mg proteína). O conteúdo de insulina pancreática foi menor no grupo  HPNP em comparação com o grupo CNP (CNP: 132,2 ± 8,3; CP: 110,1 ± 9,7; HPNP: 120,9 ± 10,1; HPP 107,6 ± 8,9). Portanto, a restrição proteica durante a prenhez não alterou o a concentração de GLP-1 no soro e pâncreas, nem o conteúdo de insulina pancreática.


Palavras-chave


Apoptose; GLP1; Prenhez na desnutrição