Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
CICLO BIOLÓGICO E PREDIÇÃO DE OCORRÊNCIA DO PSILÍDEO-DAS-PONTEIRAS DO EUCALIPTO, Blastopsylla occidentalis TAYLOR, 1985 (HEMIPTERA: APHALARIDAE)
Talita Benedcta Santos Künast, Dalva Luiz de Queiróz, Marliton Rocha Barreto

Última alteração: 19-10-18

Resumo


Psilídeos são pequenos insetos sugadores pertencente a ordem Hemiptera, superfamília Psylloidea. Para o eucalipto estão associadas mais de 300 espécies de psilídeos na Austrália. No Brasil apenas quatro espécies foram introduzidas, todas da família Aphalaridae subfamília Spondyliaspidinae, e dentre elas Blastopsylla occidentalis Taylor, 1985. Apesar de atacar plantas de eucalipto de todas as idades, esse psilídeo tem o ataque mais concentrado nas ponteiras apicais das plantas, em folhas novas e pecíolos, fatos que contribuem para perda de vigor em toda a árvore. Embora cause muitos danos a plantações atacando diversas variedades de eucalipto, o controle químico não é recomendado para esse psilídeo, em parte pela baixa eficiência dos produtos utilizados e pelos danos ambientais que poderão ser causados, sendo recomendando o uso de controle biológico. Este inseto-praga possui uma grande carência de informações principalmente referente ao seu aspecto biológico, o que dificulta nas tomadas de decisões para seu controle. Portanto, este trabalho tem como objetivos estudar o ciclo biológico do inseto em diferentes temperaturas e, também, elaborar mapas de distribuição e predição de ocorrência da praga no cenário mundial com dados climáticos do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). A metodologia empregada para o estudo do efeito da temperatura no ciclo biológico será realizada por meio de observações diárias de mudas de Eucalyptus spp infestadas com ovos com idade média de 24 horas de B. occidentalis, alocadas em câmaras climatizadas em intervalos de temperaturas variando entre 15°C a 35°C +- 2º e fotoperíodo de 12:12 h. Para acompanhar o desenvolvimento do inseto desde o período de ovo, até a fase adulta será utilizado microscópio estereoscópico.  Com as informações obtidas, no laboratório, espera-se determinar quais serão as temperaturas mais e menos favoráveis para que o inseto consiga completar o ciclo de vida. Ainda será confeccionada a tabela de vida para se entender a dinâmica populacional e reprodutiva de B. occidentalis nas condições climáticas estudadas. Para a realização dos mapas de distribuição mundial, será feito o levantamento de literatura, coleta em bancos de dados e dados de coleções da espécie em museus entomológicos, para desenvolver uma tabela que conste informações de localidades geográficas de ocorrência dessa espécie. Esse dados passarão por uma análise, padronização e retirada de outliers, no programa Arcgis. Após tratados os dados, eles serão utilizados no programa de modelagem de nicho ecológico Open Modeller, que trabalha com dados de distribuição geográfica de espécies e com as variáveis bioclimáticas, afim de realizar a modelagem da distribuição e predição de ocorrência da espécie para o cenário mundial. Após esse procedimento os resultados voltarão a ser trabalhados no Arcgis para confecção dos mapas finais. Como resultado espera-se que as informações do ciclo biológico de B. occidentalis, contribuía para estudos complementares de controle biológico. E os mapas poderão auxiliar no combate dessa praga, priorizando medidas sanitárias de controle, nas regiões em que a ocorrência terá maior probabilidade de se efetivar.


Palavras-chave


Ciclo biológico; Modelagem; Mudança climática global; Praga florestal; Psylloidea.