Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
EFICIÊNCIA DA INOCULAÇÃO DE BACTÉRIAS DIAZOTRÓFICAS EM Dolichos lablab SUBMETIDO À DISPONIBILIDADE HÍDRICA
Maiza Longo Mussato

Última alteração: 04-10-18

Resumo


O feijão labe-labe é uma leguminosa conhecida popularmente no Brasil como orelha de padre, fradinho ou mangalô (Carvalho, Amabile, 2006), podendo ser utilizado como planta de cobertura no solo, adubo verde (forrageira), na produção de feno e como feijão alternativo ao comum (Phaseolus vulgaris) na alimentação humana (Souza et al, 1992). Sua origem é descrita como do sudeste da Ásia ou do centro da África segundo alguns autores (BURKANT, 1952).

Apresenta uma concentração considerável de proteína (20,19%) e de matéria orgânica com média de 86,83% como adubo verde (Nascimento, Silva, 2004). A produção brasileira de sementes do labe-labe concentra-se na região sul e estimada de 50 a 100 kg de sementes por hectare (CALEGARI et al, 1993).

A nodulação é eficiente com estirpes do rizóbio nativas de regiões tropicais, na qual executam o processo de Fixação biológica de nitrogênio (CARVALHO; AMABILE, 2006), no entanto não há recomendações de inoculantes e irrigação específicos para a cultura para aumentar a eficiência da FBN.

Neste contexto, objetivou-se com o presente estudo avaliar o desenvolvimento do feijão labe-labe inoculado com estirpes de rizóbio e submetido à disponibilidade hídrica.

As variáveis analisadas foram altura de planta, diâmetro do caule, número de folhas, número e massa seca dos nódulos, massa seca da parte aérea e raízes, relação da massa seca da parte aérea por raízes, concentração de nitrogênio na parte aérea e raízes, proteína bruta, acúmulo de nitrogênio, volume de raízes, período de florescimento e abscisão foliar. Os dados foram submetidos a análise de variância pelo teste F até 5% de significância, com o auxílio do software SISVAR 5.6 (Ferreira, 2011).


Palavras-chave


dolichos lablab inoculação estresse hídrico

Referências


BURKART, A. Las leguminosas argentinas silvestres y cultivadas. Buenos Aires: Acme Agency Soc., 1952. 562p.

CALEGARI, A. Leguminosas para adubação verde no Paraná. Londrina: IAPAR, 1995. 118p. (IAPAR, Circular, 80)

CARVALHO, A. M.;  AMABILE, R. F.; Cerrado: adubação verde, Planaltina, DP: Embrapa Cerrados, 2006, 369p.

FERREIRA, D. F. SISVAR: um programa para análises e ensino de estatística. In: Revista symposium. 2011. p. 36-41.

SOUZA, P. A., SOUZA, H. B. A., FALEIROS, R. B. S., FREITAS, O.; Avaliação físico-química e nutricional de grãos de labe-labe (lablab purpurus (L.)  Sweet), Revista Alimento e Nutrição, São Paulo, p.99-109, 1992.