Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Produtividade e características fisiológicas da soja em sistema de integração lavoura-pecuária-floresta
ANA PAULA SOUSA RODRIGUES ZAIATZ, Cornélio Alberto Zolin, Laurimar Gonçalves Vendrusculo, Gabrieli Bertella

Última alteração: 15-10-18

Resumo


A necessidade de modelagens de parâmetros hídricos, edáficos e vegetativos para o monitoramento de diversos fenômenos agrometeorológicos e ambientais aumenta exponencialmente com as ações antrópicas voltadas a diferentes uso e ocupação do solo. A determinação de parâmetros biofísicos por técnicas e ferramentas avançadas de sensoriamento remoto com dados mínimos da superfície terrestre, vem sendo aplicada em distintos ecossistemas e manejo de grandes áreas se destacando como boa alternativa para obtenção em escala regional, demonstrando resposta espectral de distintos usos sobre áreas de superfície heterogênea. Como consequência, se apresentam como ferramenta poderosa para a obtenção de informações necessárias ao manejo, gerenciamento e gestão de recursos naturais.  Tendo as bacias hidrográficas como a unidade básica para o planejamento e gestão territorial e dos recursos hídricos, podemos citar a bacia do rio Tele Pires como uma das mais importantes do estado do Mato Grosso e constituinte de um dos principais rios da Bacia Amazônica, abrangente total ou parcialmente, além de intensa atividade agropecuária distribuída em praticamente toda a sua extensão. Dentro desta, a bacia do Alto rio Teles Pires se destaca por abranger alguns dos municípios com maior produtividade de grãos do Brasil, como Lucas do Rio Verde, Sorriso e Sinop. Com o exposto, este trabalho propôs avaliar a dinâmica espacial dos parâmetros biofísicos (albedo da superfície, NDVI e temperatura da superfície), na área do Alto Teles Pires por meio de técnicas e produtos de sensoriamento remoto para o dia 17 de Julho de 2016.  A área de estudos possui aproximadamente 37,444 km², com declividade média 0,79 (m/km), precipitação média anual de 2000 mm e representa a maior vazão específica média da bacia 28,14 L s-1 km-2. Para estimativa dos parâmetros, foram utilizadas imagens MODIS/TERRA (Produto MOD13Q1), aplicando o Tile h12v10, com resolução espacial de 250 m, juntamente com dados de estações meteorológicas disponibilizados pelo DGI-INPE (Divisão de Geração de Imagens do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Foi aplicado a metodologia adotada por Teixeira et al. (2013) para a determinação dos componentes do balanço de energia: Albedo, NDVI e Temperatura da superfície. Como resultado foi possível observar através do NDVI a dinâmica espacial para os diferentes usos do solo, e foi constatado claramente que as áreas com NDVI mais elevados (próximos a 1,0), correspondendo a matas nativas, apresentam Temperatura da superfície e Albedo mais baixos em relação as áreas com NDVI próximo a zero, correspondendo a áreas de pousio. Com tudo podemos concluir que as técnicas de sensoriamento remoto se mostraram eficientes na estimativa do padrão de distribuição espacial de todos os parâmetros para a bacia do alto teles pires, com valores consistentes aos presentes na literatura.