Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Telefonia 4G e a formação do meio técnico-científico informacional na cidade de Cuiabá
Danilo Costa Bertoloto, Yuji Gushiken

Última alteração: 04-10-18

Resumo


Esta pesquisa tem como foco a centralidade da tecnologia de telefonia móvel 4G como elemento constituinte do chamado meio técnico-científico-informacional, que por sua vez caracteriza os processos de modernização e as condições de conexão das cidades às redes urbanas em distintas escalas. A hipótese principal é que o 4G, enquanto técnica hegemônica, engendra as relações de mercado, dos lugares, dos indivíduos e dos ambientes, em uma dialética entre o poder do capital e os fluxos advindos do meio técnico. Busca-se entender como se constitui o meio técnico-científico-informacional, na medida em que os processos de atualização técnica se estabelecem como elemento de transformação urbana e de nível de conexão das cidades contemporâneas. A presente pesquisa, tendo a cidade de Cuiabá como recorte empírico para resposta a questões gerais da tecnologia, desenvolve-se com base em fontes primárias e secundárias, procura responder a questões sobre a emergência histórica da tecnologia 4G, as nuances nas relações de consumo e a afirmação da imagem da cidade como espaço de fluxos. Em perspectiva interdisciplinar, o projeto demanda atualização deste debate sobre as constantes transformações tecnológicas e sua reverberação nas esferas da política, da economia e da cultura. Busca-se definir e compreender os conceitos fundamentais da tecnologia 4G como técnica aplicada, tendo como questões o atravessamento do desenvolvimento tecnológico em diversas áreas do conhecimento, na definição, simultaneamente técnica, política e econômica, do que significam, afinal, algumas noções presentes no cotidiano do consumidor: largura de banda, conectividade e as principais diferenças entre as tecnologias 3G e 4G. Na perspectiva do urbanista Manuel Castells, analisamos a caracterização da cidade como “espaço de fluxos” e, na perspectiva do geógrafo Milton Santos, a transformação do “meio técnico-científico-informacional” como experiência de modernização urbanística. O espaço de fluxos e o meio técnico-científico-informacional tornam-se vetores que designam uma imagem de cidade mais ou menos conectada, definindo seu lugar na rede urbana em escala regional, nacional e internacional. A partir dos dados empíricos, debate-se a caracterização da cidade na contemporaneidade, estabelecido por conexões variadas, tendo a tecnologia 4G como um dos elementos estruturantes e atualizadores do capitalismo informacional.


Palavras-chave


Comunicação; Telefonia 4G; meio técnico-científico-informacional; cidade

Referências


CASTELLS, M. Sociedade em Rede, editora Paz e terra. São Paulo. 1999.

PINTO, Álvaro Vieira. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.

SANTOS, Milton. Técnica espaço tempo: Globalização e meio técnico-científico- informacional. São Paulo: Edusp, 1999.

____________. A Natureza do Espaço. Ed. 4. São Paulo: Edusp ( Editora da Universidade de São Paulo.). 2008.

SVERZUT, J. U. Redes GSM, EDGE e UMTS: Evolução a Caminha da Quarta Geração (4G). 3 ed. São Paulo: Érica, 2011.