Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
O Movimento de Internacionalização no Ensino de Pós-graduação do Instituto de Biociências da Universidade Federal de Mato Grosso
Thaina Dantas Pereira Santos, Irene Cristina de Mello

Última alteração: 03-10-18

Resumo


Este trabalho discute a internacionalização do ensino superior no contexto dos cursos de pós-graduação ofertados pelo Instituto de Biociências (IB) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Foi escolhido para verificação da existência e avaliação do delineamento o processo de internacionalização dos cursos de pós-graduação stricto sensu do Instituto de Biociências da Universidade Federal de Mato Grosso, por considerar a crescente demanda dos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE por profissionais da área de Ciência e Tecnologia e por ambientes inovadores em Educação, e a importância em tempos contemporâneos de vivencias multiculturais e considerando a localização geográfica estratégica para estudos relacionados para área de Biociências. O Objetivo é investigar como estes cursos de pós-graduação realizam suas atividades de internacionalização, quais são as estratégias adotadas e os sujeitos envolvidos. Para tanto, utilizamos a abordagem de investigação qualitativa do tipo estudo de caso, subsidiado pelos conceitos de Yin (2010). A investigação qualitativa é uma abordagem que contempla uma metodologia de investigação que enfatiza a descrição, a indução, a teoria fundamentada e o estudo das percepções pessoais. Os sujeitos da pesquisa são os docentes, estudantes dos cursos de pós-graduação, os respectivos coordenadores de curso e um servidor de relações internacionais da UFMT. Os pressupostos teóricos que sustentam a discussão são, dentre outros, Knigth (2003) e de De Witt (2011), por apresentarem discussões sobre o conceito de internacionalização e suas perspectivas. A internacionalização é importante para o desenvolvimento acadêmico do pós-graduando, pois pode proporcionar ao estudante uma visão multicultural, além de abrir possibilidade formação de cidadania global, devido a um currículo internacionalizado.  Os resultados poderão contribuir para o entendimento sobre a existência desse processo e seu modus operandi, bem como os reflexos no processo de formação dos futuros profissionais, e dos sujeitos envolvidos capazes de buscar parcerias para desenvolverem estratégias para resoluções de problemas pautados na solidariedade e nos aspectos multiculturais e responsabilidade social.

Palavras-chave


Internacionalização do ensino superior; UFMT; Internacionalização.

Referências


BOGDAN, R; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Porto: Editora Porto, 1994.

CRESWELL, J. W. Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa: Escolhendo entre cinco abordagens. 3 ed. Porto Alegre: Penso, 341p. 2014.

DE WIT, Hans Globalisation and Internationalisation of Higher Education. Revista de Universidad y Sociedad del Conocimiento (RUSC). Vol. 8, No 2, pp. 241-248. UOC. 2011. (Acesso em: 06/10/2017)

EGRON-POLAK, SURVEY EVA; HUDSON, ROSS. Internationalization of Higher Education: Growing expectations, fundamental values IAU 4th Global. (Disponível em: http://www.iau-aiu.net/sites/all/files/IAU-4th-GLOBAL-SURVEY-EXECUTIVE-SUMMARY.pdf)

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

KNIGHT, J. Internationalization Remodeled: Definition, Approaches, and Rationales. Journal of Studies in International Education. Vol. 8 No. 1, pp. 5-31. Spring. 2004.

KNIGHT, J. Updating the definition if Internationalization. International Higher Education. No. 33, pp. 2-3. (2003) (Disponível em: http://www.iau-aiu.net/sites/all/files/Updating%20the%20Definition%20of%20Internationalization%20Knight.pdf).

http://ruf.folha.uol.com.br/2017/perfil/universidade-federal-de-mato-grosso-ufmt-1.shtml

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisas em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

 

UNESCO. Conferência Mundial de Ensino Superior. 2009.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4a ed., Porto Alegre: Bookman, 248p. 2010.

http://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-aquatica/zonas-umidas-convencao-de-ramsar (Acesso em: 11/07/2018)