Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
GESTÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE RONDONÓPOLIS-MT
Greyce Bernardes de Mello Rezende, Anna Luiza Ferrari Oliveira

Última alteração: 06-11-18

Resumo


INTRODUÇÃO: A indústria da construção civil é uma das maiores consumidoras de recursos naturais e gera resíduos que muitas vezes são descartados de forma inadequada, causando impactos negativos ao meio e à população. Apesar de sua relevância para o crescimento econômico e social, estatísticas apontam que o setor apresenta um elevado potencial poluidor. No ano de 2016 foram geradas 123.619 toneladas de RCC, provenientes de diversas fontes (trabalhos rodoviários, escavações, sobras de demolições, obras variadas e sobras de limpeza) e constituídos dos mais diversos materiais (concreto, tijolo, areia, solos, metais, madeira, etc.) (IPEA, 2012). Dessa maneira, é necessário o gerenciamento de resíduos, que está baseado em planejamento, procedimentos que visam à redução e a minimização da geração de resíduos, bem como ações adequadas e coerentes relativas à segregação, acondicionamento, coleta, tratamento e destinação dos resíduos. De acordo com a Resolução Conama nº. 307/2002, para o gerenciamento correto deve-se seguir as etapas de separação, triagem, acondicionamento, transporte e destinação. OBJETIVOS: Diante do crescimento acelerado no município de Rondonópolis nos últimos anos, surge a demanda por novas edificações. Acarretando assim, na explosão do setor da construção civil e dessa forma, gerando uma quantidade excessiva de resíduos e a forma como estes vêm sendo descartados. Dentro desse contexto objetivo da presente pesquisa é analisar a gestão e o gerenciamento dos Resíduos da Construção Civil (RCC) no município de Rondonópolis- MT, no que diz respeito ao volume produzido, suas composições, locais de descarte irregulares e atuação de usinas de reciclagem. Verificando se o modelo de gestão de RCC adotado pelo município está de acordo com a legislação vigente. METODOLOGIA: A metodologia adotada tem como procedimento técnico o estudo de caso, através de abordagem qualitativa. Na primeira fase, foi realizado um levantamento bibliográfico, para se obter maior conhecimento sobre a problemática. Secundariamente, foram realizadas entrevistas para o levantamento de dados com o departamento responsável pelo saneamento básico do município (SANEAR), juntamente com a Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) e a usina responsável pela reciclagem dos resíduos da construção civil. RESULTADOS: Verificou-se que o município ainda não está adequado totalmente, no que exige a Política Nacional de Resíduos Sólidos e a Resolução CONAMA nº. 307/2002. É necessário melhorar a supervisão dos departamentos competentes ainda deixa a desejar, tanto na fiscalização dentro das obras, quanto ao descarte em locais inapropriados. Outro fator ainda em desvantagem é a destinação direta para usina de reciclagem, que ainda recebe pequena quantidade de resíduos da Classe A diante do que é gerado pelo município. Contudo, é de suma importância que o município se adéque às legislações vigentes e possa diminuir os impactos causados pelo setor.


Palavras-chave


RCC, gerenciamento, gestão de resíduos, construção civil, reciclagem, Rondonópolis.

Referências


Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais ABRELPE (2017). Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil 2016. Disponível em <http://www.abrelpe.org.br/Panorama/panorama2016.pdf>. Acesso em: 09 de Jun. de 2018.

BRASIL. Lei n° 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera Lei n° 9605 de fevereiro de 1998.

Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – IBGE (2015). Panorama da cidade de Rondonópolis, Mato Grosso. Disponível em <.https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mt/rondonopolis/panorama.>. Acesso em: 10 de Jun. 2018.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. Diagnóstico dos Resíduos Sólidos da Construção Civil- Relatório de Pesquisa. Brasília, DF. 2012.

JOHN, V. M. Reciclagem de resíduos na construção civil: contribuição para metodologia de pesquisa e desenvolvimento. 120p. Tese (Livre docência)- Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2000.

JOHN, V. M.; AGOPYAN, V. Reciclagem de resíduos da construção. In: Seminário Reciclagem de Resíduos Sólidos Domésticos, São Paulo, 2000.

Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente. CONAMA. Resolução nº 307, de 05 de julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Brasília. Diário Oficial da União, nº 136, de 17 de julho de 2002.

PREFEITURA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS (2015). Disponível em: http://www.rondonopolis.mt.gov.br/?pg=noticia&intNotID=41121. Acesso em: 29 de Julho de 2018.