Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL PELO VIÉS DA QUÍMICA: UMA INTERRELAÇÃO SOCIOCULTURAL COM OS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS
IZABEL CRISTINA BRITO TEIXEIRA MORAES

Última alteração: 03-10-18

Resumo


Esta pesquisa trata da Educação Ambiental (EA) que é debatida globalmente por sua importância, inclusive na preservação e conservação dos ecossistemas e pela relevância de se conhecer as dimensões que compõem a sua estrutura. O tema se desenvolve aliando seus preceitos aos Programas Educacionais que se comprometem a debater e a questionar o assunto no espaço escolar, no intuito da preservação futura do nosso meio ambiente. O estudo, decorrente do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Naturais, foi desenvolvido tendo como base a metodologia problematizadora, com três momentos pedagógicos, conforme propõe Delizoicov, Angotti e Pernambuco que desenvolveram esta metodologia baseada em Paulo Freire, na obra a Pedagogia do Oprimido, de 1987, sendo estes: Estudo da Realidade, Organização do conhecimento, Aplicação do Conhecimento.  O que configurou na construção da proposta pedagógica metodológica deste trabalho. O estudo também se desdobrou na investigação da validação desta proposta metodológica. Neste sentido, esta segunda etapa da pesquisa é de cunho qualitativa, para tanto adotou-se uma abordagem interpretativa, que levasse a uma aproximação do pesquisador com todas as fases da pesquisa para perceber produções simbólicas, emoções, atitudes e criatividade.  Os sujeitos da pesquisa foram os estudantes do curso de Licenciatura em Química, da disciplina Projetos de Ensino de Química, que foram convidados a apresentar sua compreensão da relação das questões da EA entrelaçadas ao Ensino de Ciências e Química. Assim, desenvolveu-se uma articulação entre um processo educativo e a pesquisa do produto educacional elaborado. A pesquisa de campo foi escolhida para a captação de dados em um contexto no qual se relacionam os aprendizes, fenômenos naturais, fenômenos culturais, bem como os conceitos dos ciclos biogeoquímicos a partir da teoria da Complexidade, pelo estudo da termodinâmica. Para a validação do produto educacional foram utilizados dois instrumentos, sendo eles um questionário para avaliação da metodologia, e outro conhecido por complementos de frases que nos proporcionou proximidade e imersão na análise das expressões dos sujeitos da pesquisa. O resultado da pesquisa é satisfatório, pois aponta que a vivência no estudo da realidade, pelos estudantes, ocasionou a problematização do seu atual contexto de estudo. Desta forma, realizar ações que levem os acadêmicos a interrelacionar os conceitos da Química a tema gerador como a EA podem levantar resistência inicialmente, mas quando percebido que tais conhecimentos se enviesam com o conceitos relevantes da Química e da Ciências estes se prontificam a serem disseminadores, de modo singular, da EA. Portanto, concluímos que não podemos pensar em ensinar olhando a Educação no isolamento de cada disciplina, mas pensar que a educação está para a interação do ato de ensinar e aprender, sempre conectado ao contexto material e cultural. Logo, consideramos que não existe nenhum componente problematizador da vida que possa ficar fora do ato de ser docente, mas como um fluxo contínuo, não podemos pensar em ensinar Química e EA sem considerar o processo cultural.


Palavras-chave


Educação Ambiental; Metodologia Problematizadora, Ensino

Referências


CARVALHO, I. C. M. A invenção do sujeito ecológico: identidades e subjetividade na formação dos educadores ambientais. In: Sato, M. & Carvalho, I. C. M. (orgs) Educação Ambiental; pesquisa e desafios. Porto Alegre, Artmed, 2005.

 

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. Rio Grande do Sul: Unijui, 4º ed. 2006

 

CHASSOT, A. Educação consCiência. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2007.

 

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro. Editora Paz e Terra, 17º ed. 1987.

FREIRE, P. Cartas a Cristina. Rio de Janeiro. Editora Paz e Terra. 1994.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo. Editora Cortez, 3 º ed. 1983.

 

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários para a prática docente. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2011.

 

GADOTTI, M. .Educar para a sustentabilidade: uma contribuição à decada da educação para o desenvolvimento sustentavel. São Paulo. Editora: Unifreire. (2012)

 

GADOTTI, M.  A carta da terra na educação. São Paulo: Editora e livraria Paulo Freire, 2010.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M.   Ensino de ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Editora Cortez 2º ed. 2007.