Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Coleção de afetos: "O bairro", de Gonçalo M. Tavares
Marília Bonna dos Santos

Última alteração: 18-10-18

Resumo


Compreender a série O bairro, do escritor português Gonçalo M. Tavares, como uma coleção é compreendê-la como um espaço de sentimento, fora de toda temporalidade, onde convivem os mais diversos “objetos”, unidos tão somente pelo afeto que lhes tem este escritor. Trata-se, afinal, de uma série de livros ainda em aberto, cada qual dedicado a uma personagem, cujo nome remete sempre a um escritor ou artista ou pensador – todos convivendo nesse bairro imaginário, inventado pelo escritor português com o fim de aproximar nomes como Paul Valéry e André Breton. O bairro tavariano aparece, assim, como esse lugar de suspensão: descontextualizado, incompleto, eternamente em movimento – como uma coleção. Como um colecionador, Tavares extrai essas personagens da própria história da literatura, destacando-as de seu contexto original, colocando-as em diálogo com outras e consigo mesmo. A partir de tal ideia, este trabalho busca se basear no conceito de coleção segundo Walter Benjamin, passando pela exigência fragmentária de Blanchot – e suas considerações acerca da sobrevida do texto literário – e pela noção de que também a literatura – esta “série de linhas escritas, cristalizadas fora do fluxo contínuo do pensamento”, como sugeriu Italo Calvino em “Coleção de Areia” – pode ser pensada a priori como uma coleção.


Palavras-chave


Literatura;Memória;Coleção

Referências


Calvino, Italo. Coleção de areia. In: Coleção de areia. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2010.