Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Desempenho de espécies nativas para a recuperação de área degradada
Otnyel Pedro de Matos Santos

Última alteração: 22-10-18

Resumo


Em áreas degradadas que apresentam baixa resiliência o método mais indicado de recuperação é o plantio de mudas ou sementes em arranjos que combinam espécies de diferentes grupos ecológicos. Assim sendo, é muito importante se ter informações sobre o desenvolvimento e o comportamento dessas espécies quando inseridas nessas áreas. O presente trabalho tem como objetivo avaliar o desempenho em crescimento e desenvolvimento de espécies autóctones plantadas em área marginal de mata ciliar degradada, e também a produção de serapilheira acumulada e a capacidade de retenção hídrica. O estudo foi conduzido na Fazenda Campina, pertencente à empresa Teca do Brasil Ltda., e que está localizada no município de Nossa Senhora do Livramento, Estado de Mato Grosso. Foi verificada a sobrevivência aos 16 anos de idade e realizada medição de todas as árvores quanto a altura total (Ht), diâmetro à 1,3 m (DAP) e diâmetro de copa (DC). Posteriormente, foram estimados a densidade (D), a área basal (G), o diâmetro da copa (DC) e a área de projeção de copa (AC), além os índices morfométricos. Durante as medições em campo foram observados e registrados o estado fitossanitário de cada árvore e à forma de fuste, cujos valores foram expressos em frequência (%). Para a coleta de serapilheira foi usado um gabarito, com área de coleta de 0,25 m², alocado sistematicamente no centro de cada uma das 96 parcelas. A serapilheira coletada foi colocada em sacos plásticos e levada para análise em laboratório. Cada amostra de serapilheira foi separada nas frações folhas (F), galhos e raízes (G), sementes (S) e em material orgânico indistinto (MA). Para avaliar a Capacidade de Retenção Hídrica (CRH) da serapilheira, foi utilizado o método desenvolvido por BLOW. As espécies Plathymenia reticulata, Myracrodruon urundeuva e Caesalpinia ferrea foram as que apresentaram maiores taxas de sobrevivência. Inga edulis, Buchenavia tomentosa e Samanea tubulosa, apesar de apresentarem taxas de mortalidade altas, agregaram características importantes de desenvolvimento, como a capacidade de cobertura e estabelecimento, sendo por isso qualificadas como edificantes do processo de regeneração. Enterolobium contortisiliquum e Anadenanthera falcata foram responsáveis por maior massa seca total de serapilheira, proporcionando melhor cobertura ao solo.  A serapilheira produzida por Genipa americana e Samanea tubulosa contribuíram com maior capacidade de retenção hídrica. Cedrela fissilis, Mauritia flexuosa, Euterpe oleracea e Aspidosperma subincanum necessitam de maior atenção quanto aos fatores que causaram sua total mortalidade quando inseridas em ambientes degradados.

Palavras-chave


Mata ciliar; espécies autóctones; área perturbada

Referências


BLOW, F. E. Quantity and hydrologic characteristics of litter under upland oak forests in Eastern Tennessee. Journal of Forestry 1955; 53: 190-195.