Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Uma Ponte Para Jerusalém: Atmosferas Sensoriais e Modos de Fala do Discurso Religioso
Andréa Basílio da Silva Chagas, Dolores Cristina Gomes Galindo

Última alteração: 04-10-18

Resumo


Resumo

Nas últimas duas décadas tem se observado um acontecimento contundente na cultura religiosa brasileira, a aproximação das religiões cristãs, principalmente protestantes, com a estética e a cultura judaica. Este fenômeno tem sua principal inscrição a construção/reconstrução de estruturas bíblicas pela Igreja Universal do Reino de Deus, um fenômeno crescente, porém ainda pouco estudado no Brasil. Portanto, a partir do estudo das dimensões estética das técnicas, este trabalho pretende contribuir para o entendimento de tais estruturas comunicacionais a partir do debate e do aprofundamento de conceitos de comunicação material, como: performance, estudo das redes e semiótica-material. Esta pesquisa fundamentada dentro dos estudos em cultura contemporânea possui intenso caráter interdisciplinar por tanto transita e somará a distintas áreas do saber como: Comunicação, sociologia da religião e estudos sociotécnicos. Aprofundando a compreensão das tramas sensoriais pertencente à comunicação religiosa neopentecostal contemporânea da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), desejamos identificar os principais arranjos comunicacionais presentes na criação/recriação da cidade de Jerusalém e de uma antiguidade cristã, feitas pela IURD no Brasil examinando suas implicações na cultura, na comunicação e no marketing religioso. Aprofundando os estudo das atmosferas sensoriais e tramas tecnoestéticas existentes na IURD como: a réplica do Templo de Salomão e a maquete de Jerusalém do século I. Para realização deste trabalho, norteados metodologicamente pela TAR – teoria ator-rede. Fizemos incursões em pesquisa de campo de tipo etnográfico em ambientes distintos sendo alguns destes: as catedrais iurdianas (São Paulo, Rio de Janeiro e Cuiabá) e uma comunidade judaica-messiânica na cidade de Cuiabá a Beit Midrash Shema Ysrael. Estas observações participantes foram necessárias, para além de identificar as redes sociotécnicas atuantes no acontecimento explorado, também auxiliar na compreensão das potências e traduções destes actantes a partir de suas atuações nestes distintos regimes de enunciação.  Até o presente momento, foram constatadas uma elaborada rede de traduções teológicas, transfonias religiosas e relações politicas e empresariais, tramas estas que vem ao encontro de nossa elaboração teórica sobre a criação iurdianas de pontes tecnoestéticas. Estruturas estético-comunicacionais construídas com intuitos proselitistas, financeiros e políticos feitas pela Igreja Universal do Reino de Deus.

Palavras chaves: atmosferas sensoriais, comunicação, marketing religioso, Jerusalém.


Palavras-chave


atmosferas sensoriais, comunicação, marketing religioso, Jerusalém.

Referências


Referências

 

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução Heloisa Pezza 3º. Ed – São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 2000.

CHAGAS, Andrea Basílio Silva. Marketing religioso: devoção e produto, 2004. 75f. (Monografia para Graduação em Comunicação Social) – Instituto de Arte e Comunicação Social, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2004.

________.. Entre sinos e drive-thrus no Reino de Deus: tramas tecnoestéticas e atmosferas sensoriais, 2013. Dissertação (Mestrado em Estudos de Cultura contemporânea), Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, 2013.

CUNHA, Magali. M . Religiosidade midiática e novos paradigmas de cristianismo e de culto em tempos de cultura gospel. In: DIAS,Zwinglio M.; RODRIGUES, Elisa; PORTELLA, Rodrigo. (Org.). Protestantes, evangélicos e (neo)pentecostais. Histórias, teologias, igrejas e perspectivas. 1ed.São Paulo: Fonte Editorial, 2013, v. 1, p. 203-214

FRESTON, Paul. Protestantes e política no Brasil: da constituinte ao impeachment. 1993,13 308f. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1993 Tese de doutorado. Campinas, Unicamp, 1993.

GERGEN, Mary & GERGEN, Kenneth. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Em N. Denzin & Y.S. Lincoln (orgs.), tradução Sandra Regina Netz, Porto Alegre: Atemed Edição, 2º ed., 2006.

JAGUARIBE, Beatriz. Imaginando a Cidade Maravilhosa: modernidade, espetáculo e espaços urbanos. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho Imagem e imaginários
midiáticos do XX Encontro da Compós, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, de 14 a 17 de junho de 2011

LATOUR, Bruno. “Não congelarás a imagem” ou como não desentender o debate ciência- religião.Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 349-376, ago. 2004.
__________. Redes que a razão desconhece: laboratórios, bibliotecas e coleções. Porto Alegre.

__________. Jamais fomos modernos: ensaio de Antropologia simétrica. (Trad. Carlos Irineu da Costa) Rio de Janeiro: Ed.34. [1991] 1994.

SIMONDON, Gilbert. Sobre a tecno-estética: carta a Jacques Derrida. Paris, (1992 [1954])