Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
FRUGIVORIA E PREFERENCIA ALIMENTAR NA DIETA DE MAMÍFEROS TERRESTRES NO SUL DA AMAZÔNIA
lucinere propodolski pinto

Última alteração: 15-10-18

Resumo


Em florestas tropicais nós encontramos uma grande diversidade de espécies vegetais, apresentando períodos de frutificação assim como tempo de amadurecimento e modos de dispersão igualmente diversos. A maioria dos frutos são zoocóricos, nutrindo animais que se alimentam deles exclusivamente ou parcialmente, de forma que os animais frugívoros, contribuem para dispersão de sementes de espécies vegetais, dirigindo sua distribuição espacial. O processo de dispersão envolve relações muito específicas entre as plantas e os diferentes agentes dispersores, uma estratégia natural dos ecossistemas para a conservação das espécies vegetais que dependem diretamente dessa relação para o seu sucesso reprodutivo. A dispersão zoocórica é realizada normalmente por mamíferos, destacando-se a anta (Tapirus terrestris), a paca (Agouti paca) e a cutia (Dasyprocta azarae). Neste contexto, as plantas investem boa parte de sua energia na produção de frutos que sejam atrativos para os animais, com uma grande variedade de odores, cores, sabores e texturas. O objetivo deste trabalho foi avaliar os padrões de preferência alimentar na constituição da dieta de mamíferos frugívoros predadores e dispersores de sementes em relação aos frutos disponíveis em cada período do ano. A coleta de dados foi realizada quinzenalmente de janeiro a dezembro de 2018 nos respectivos períodos de frutificação das principais plantas zoocóricas na região. A frutificação de 10 espécies produtoras de frutos que atuam como alimentos potenciais para mamíferos frugívoros foi observada considerando a preferência dos animais por determinados frutos em uma área de floresta amazônica no território da usina Guarantã Energética S.A., localizada no município de Guarantã do Norte, na linha 45, Km 18. As unidades amostrais foram selecionadas entre as espécies matrizes já identificadas e georefenciadas pela equipe da usina. Os animais frugívoros que visitaram e se alimentaram dos frutos foram registrados e identificados por meio de armadilhas fotográficas que permaneceram por 48 horas ininterruptas em cada unidade amostral com intervalos de 15 dias e por observações semanais dos vestígios deixados pelos animais, como fezes, rastros e frutos parcialmente ingeridos além de sementes despolpadas. Os resultados evidenciaram que há uma preferência dos animais por determinados frutos quando ocorre produção simultânea de duas ou mais espécies.

 


Palavras-chave


ecologia alimentar, zoocoria, produção de frutos.