Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Manda nudes? : Práticas sexuais, mídias digitais e as performatividades de gênero na contemporaneidade
Nealla Valentim Machado, Flávio Luiz Tarnovski

Última alteração: 04-10-18

Resumo


Em nossa sociedade contemporânea transpassada por tecnologias da comunicação digitais, onde a todo momento somos produtores e consumidores de conteúdos, as imagens de teor sexual produzidas em contextos de intimidade afetiva/sexual se destacam por borrarem ainda mais as linhas que delimitavam os limites entre o público e o privado. As instituições jurídicas educacionais e comunicacionais tentam compreender e se adequar às transformações que o rápido compartilhamento dessas imagens pode ocasionar na vida das pessoas. No âmbito dos relacionamentos contemporâneos mediados pelas mídias sociais digitais, nossa tese visa compreender como se negociam as visibilidades de gênero por meio das trocas de imagens íntimas, os chamados nudes. As redes sociais digitais aceleram e multiplicam possibilidades para construir e dar visibilidade aos sujeitos na contemporaneidade, e o gênero e a sexualidade são partes fundamentais da constituição desses sujeitos. Nesse contexto, a internet permite o acesso a experiências que antes da conexão mundial entre os aparelhos eletrônicos eram vividas de forma individualizada, silenciosa, como as experiências afetivas/sexuais, mas nem por isso menos sociais. Dentro do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea, queremos compreender que lugar as nudes ocupam dentro do nosso esquema historicamente transmitido de significações representadas em símbolos, o qual chamamos de cultura. As nudes podem agir como gatilhos para o desejo e o deleite erótico, sendo parte importante da construção das relações amorosas/sexuais na contemporaneidade. A grande questão desta pesquisa é de compreender o impacto e o significado das nudes nas “novas” práticas sociais, que tanto podem reafirmar representações tradicionais de masculinidade e feminilidade, bem como transformar de maneira crítica modelos tradicionais de relações de gênero e moralidade.


Palavras-chave


Nudes; Gênero; Cultura

Referências


BUTLER, Judith P. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 7. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

CASTELLS, Manoel. A sociedade em rede. Volume I. 8. Edição revista e ampliada. São Paulo: Paz e Terra Ed, 1999.

FLAX, Jane. Pós-Modernismo e relações de gênero na teoria feminista. In: BUARQUE De HOLLANDA, Heloisa (org.). Pós-modernismo e política. Rio de Janeiro: Rocco,1992. pp. 217-250.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade. 12. Ed. Rio de Janeiro: Graal, 1997.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. 1. Ed. 13. reimpressão. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1989.

HINE, C. Etnografia Virtual. Barcelona, UOC, Colección Nuevas Tecnologías y Sociedad, 2004.

ILLOUZ, E. El consumo de la utopía romántica. El amor y las contradicciones culturales del capitalismo. Madrid, Katz Editores, 2009

MISKOLCI, R. Novas Conexões: notas teórico-metodológicas para pesquisas sobre o uso de mídias digitais. Cronos – Revista do Programa de Pós-Graduação da UFRN. Natal, vol. 12, 2011, pp.9-22.

VANCE, Carole. A antropologia redescobre a sexualidade: um comentário teórico. In: Physis, v.5, n. 1, 1995, pp. 7-31.

WEEKS, Jeffrey. O Corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira L. (org.). O Corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.