Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Efeito de retardantes de fogo sobre o estabelecimento inicial de espécies florestais
Elen Silma Oliveira Cruz Ximenes, ANDRÉA CARVALHO DA SILVA

Última alteração: 15-10-18

Resumo


Incêndios constituem uma ameaça tanto às áreas agrícolas como às florestais, causando graves danos do ponto de vista econômico e ecológico. Diversas técnicas de prevenção e combate à incêndios são aplicadas e aprimoradas. A água é o agente mais comum utilizado para suprimir incêndios. A utilização da água no combate ao fogo pode ser um processo oneroso, devido a diminuição da sua disponibilidade e grande distância das fontes deste recurso. Para aumentar sua eficiência, produtos químicos conhecidos como retardantes, frequentemente são adicionados à água modificando seus atributos físicos. Produtos retardantes são misturas contendo água e sais inorgânicos comumente utilizados na fertilização agrícola como sulfatos, fosfatos de amônio e substâncias espessantes, surfactantes e estabilizadores de espumas para tornar a água mais densa. O objetivo deste trabalho é avaliar o efeito de diferentes produtos retardantes de fogo sobre o estabelecimento inicial de espécies florestais. O experimento será conduzido na casa de vegetação do setor de Produção Vegetal da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Campus Sinop.  As sementes das espécies florestais (Shizolobium amazonicum (paricá), Handroanthus impetiginosus (ipê rosa), Tabebuia roseo-alba (ipê branco) serão coletadas em árvores matrizes selecionadas na arborização urbana do município de Sinop-MT. O experimento será conduzido em delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 3 x 3 x 5 x 4 (forma de aplicação x tipos de retardantes x concentrações dos retardantes x analise de crescimento) com 10 repetições. Os tratamentos consistirão em: Nutri gel (0; 0,25; 0,5; 0,75 e 1 g/L), Phos- Chek WD-881 (0; 0,3; 0,6; 0,8 e 1 ml/L) em Hold Fire (0; 0,7; 0,9; 1,2; e 1,5 ml/L) aplicados quinzenalmente. As formas de aplicação serão: substrato saturado com a semente para germinar, plântula no substrato recebendo o retardante via foliar e plântula no substrato recebendo o retardante via solo. As análises de crescimento (destrutivas) das mudas serão realizadas aos 15, 30, 60 e 120 dias após a germinação ou transplantio. As variáveis de crescimento a serem determinadas serão: altura de planta , diâmetro do coleto, número de folhas, volume do sistema radicular; massa seca das folhas, do caule e das raízes; e área foliar. As respostas ecofisiológicas a serem mensuradas serão: teor de clorofila, taxas de fotossíntese, condutância estomática e transpiração. Espera-se com esse projeto detectar o tipo de relação entre os produtos usados contra o fogo e as espécies florestais em sua fase inicial de desenvolvimento.

 


Palavras-chave


germinação; incêndios; produto químico; solo

Referências


BARREIRO, A., et al. Long-term response of soil microbial communities to fire and fire-fighting chemicals. Biology and Fertility of Soils. v.52, p. 963-975, jul. 2016. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s00374-016-1133-5. Acesso: 07/05/2018.

FIEDLER, N. C. et al. Intensidade de queima de diferentes retardantes de fogo. Revista Árvore, Viçosa-MG, v. 39, n. 4, p. 691-696, maio. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rarv/v39n4/0100-6762-rarv-39-04-0691.pdf>. Acesso em: 06 mar. 2018.

PLUCINSKI, M. P., SULLIVAN, A. L., HURLEY, R. J. A methodology for comparing the relative effectiveness of suppressant enhancers designed for the direct attack of wildfires. Fire Safety Journal, Canberra, v. 87, p. 71–79, dez. 2016.