Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação da atividade antibacteriana e antifúngica de extratos obtidos das espécies vegetais Tabebuia aurea e Cordia glabrata
Emilia Chuina Tomazeli

Última alteração: 04-10-18

Resumo


O Brasil possui uma das maiores biodiversidades do mundo e a combinação dessa biodiversidade com o conhecimento tradicional ou mesmo popular de seu uso concede ao país uma posição privilegiada para o desenvolvimento de novos produtos.  O aumento da resistência microbiana, como consequência da adaptação da célula bacteriana e fúngica a exposição aos antibióticos atualmente disponíveis, torna relevante a busca de novos compostos com potencial antimicrobiano. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antimicrobiana de extratos obtidos de flores e folhas das espécies vegetais Tabebuia aurea (paratudo) e Cordia glabrata (louro branco) presentes no Pantanal Mato-Grossense. O material vegetal (folhas e flores) foi coletado no Pantanal, próximo a cidade de Poconé – MT, as amostras foram secas, moídas e, posteriormente, realizada à extração por maceração em hexano e etanol 70%. A avaliação das atividades antibacteriana, para cepas de Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa, Salmonella typhimurium, e antifúngica, para Candida albicans e Candida parapsilosis, foram realizadas pela técnica de microdiluição em caldo. Na avaliação antibacteriana, os resultados revelaram que os extratos analisados apresentaram concentrações inibitórias mínimas (CIMs) iguais ou superiores a 2000 µg/mL, considerando as bactérias Gram negativas. Entretanto, frente a cepa Gram positiva (S. aureus), o extrato hidroetanólico das folhas do louro branco mostrou CIM de 125 µg/mL, revelando-se o mais promissor. Na avaliação antifúngica, todos os extratos apresentaram CIMs de 2000 µg/mL ou > 4000 µg/mL, com exceção do extrato hexânico das folhas do louro branco que apresentou CIM em 1000 µg/mL frente a Candida albicans. A literatura reporta que o gênero Cordia apresenta diversos metabólitos secundários com potencial antimicrobiano, como compostos fenólicos (flavonóides, taninos), alcalóides e terpenos, e a possível presença de tais substâncias nas folhas da espécie C. glabrata pode ter contribuído para a atividade antimicrobiana evidenciada. A triagem do potencial biológico de plantas e a descoberta de novas espécies vegetais que possam ser utilizadas no desenvolvimento de novos antimicrobianos é de grande relevância, visto que a resistência microbiana e as doenças infecciosas são problemas para Saúde Pública do Brasil.

Palavras-chave


atividade antifúngica; atividade antibacteriana; espécies vegetais.