Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ALUNOS CONSIDERADOS EM SITUAÇÃO DE DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA E SUAS CRENÇAS
Mariana Honório de Alencastro, Rute Cristina Domingos da Palma

Última alteração: 04-10-18

Resumo


A matemática tem ocupado um espaço de medo e dificuldades no imaginário popular. Desde cedo ouve-se que a matemática é difícil e que poucos podem compreendê-la. Neste sentido, esta pesquisa, tem como objetivo geral investigar as crenças de crianças que frequentam a sala de apoio e são indicados pelos professores como alunos que possuem dificuldades na aprendizagem. De acordo com Gonçalves (2013) foi por volta do séc. XX que os primeiros estudos acerca das crenças surgiram, porém somente nos últimos 10 anos é que as crenças na educação matemática ganharam atenção. No contexto da educação matemática, pesquisadores como, Abelson (1979);Chacón (2003);Thompson (1992) têm se dedicado ao estudo de relações entre afetividade em suas diferentes manifestações e cognição. Para esses autores, crenças, emoções, sentimentos, atitudes e valores são elementos presentes, fundamentais e interferem em qualquer situação de ensino e aprendizagem da matemática. Ao realizarmos a revisão bibliográfica, com o objetivo de mapear teses e dissertações nacionais defendidas entre 2008 a 2018, sobre as crenças de crianças acerca da matemática, constatamos com base nas classificações definidas por Chacón (2003) que a temática ainda se apresenta pouca explorada. Nesta pesquisa, consideramos ser importante ouvir o que as crianças têm a nos dizer sobre as crenças em relação a matemática, aos processos de ensino e a sua própria aprendizagem, permitindo assim, o protagonismo nas pesquisas. Por entendermos que o processo de aquisição de conhecimentos é uma construção humana, envolto em aspectos históricos e culturais, escolhemos a abordagem qualitativa, do tipo exploratória, como opção metodológica. Neste sentido, autores como Bogdan e Biklen (1994), Lüdke e André (1986) e Gonzáles Rey (2012), foram utilizados como referencial teórico para sustentar a nossa escolha metodológica. A pesquisa será realizada no primeiro semestre de 2019, com seis crianças que frequentam uma sala de apoio à aprendizagem, em uma escola da rede municipal de ensino do município de Cuiaba-MT. No processo de produção de dados utilizaremos os questionários de caracterização dos participantes da pesquisa, os relatórios de encaminhamentos dos professores às salas de apoio, as entrevistas semiestruturadas com as crianças e o diário de campo. A partir da triangulação dos dados procederemos a análise qualitativa interpretativa

Palavras-chave


Crenças; Crianças; Dificuldades de Aprendizagem

Referências


ABELSON, R. Differences between belief system and a knowledge systems. Cognitive Science. P. 355-366. 1979.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994

CHACÓN, I. M. G. Matemática emocional: os afetos na aprendizagem matemática. São Paulo: Artmed, 2003ª

GONCALVES, M. I. de S. M. Crenças e dificuldades de futuros professores de matemática no domínio dos números racionais. 2013.201.p. Tese (doutorado), Universidade Federal de Minas Gerais-MG, 2013.

GONZALES REY, Fernando. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de
construção da informação. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

THOMPSON, A. Teachers’ beliefs and conceptions: a synthesis of the research. In: GROUWS, D. A.(Ed.) Handbook of research in mathematics teaching and learning. New York, NY: Macmillan, 1992