Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
AUTORIA E ASSINATURA EM PERIÓDICOS CIENTÍFICOS: SIGNIFICANTES DO CONHECIMENTO PRODUZIDO NA ÁREA DA EDUCAÇÃO NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL
Dionéia da Silva Trindade, Silas Borges Monteiro

Última alteração: 04-10-18

Resumo


Esta proposta de pesquisa tem como objeto os periódicos científicos mantidos por programas de pós-graduação stricto sensu na área de Educação da região Centro-Oeste. Pressupõe que as revistas possuem critérios heterônomos, estabelecidos pela área, mas, ao mesmo tempo, quer criar sua identidade editorial e sua política de publicação. Essa tensão entre a autonomia e a admissão de critérios heterônomos produz um campo de exigência dos editores em tratar da dimensão identitária da revista e o atendimento das políticas públicas da área. O método a ser usado é a cartografia como pensado por Michel Foucault. Além disso, vale-se de conceitos como autoria e assinatura em Jacques Derrida. Neste trabalho, concebe-se que a comunicação científica se edifica no movimento das multiplicidades ramificadas na perspectiva epistemológica de rizoma (DELEUZE) em meio ao qual se constituem as cartografias. Nesses rastros, busca-se a política do nome próprio junto aos periódicos pesquisados, com inspiração em Nietzsche e Derrida. Frise-se que o método cartográfico (DELEUZE; GUATTARI) não segue regras preestabelecidas; é um movimento cujas sinuosidades constituem um mapa móvel que se delineia no caminhar da pesquisa, concentrado na experiência, na localização de rastros e de signos do processo em curso. Assim, o pesquisador cartógrafo terá que criar sua trajetória na medida em que estabelece relações com pessoas e coisas, passando ele a integrar seu próprio território de investigação. Os rastros a comporem o mapa cartográfico guiarão a encontros com a equipe editorial dos periódicos em estudo, como editores, avaliadores e autores. O que possibilitará a escuta das vivências desses profissionais em meio aos periódicos científicos, bem assim lançaremos mão de consulta documental, entre outras necessidades de uso de instrumentos que forem surgindo. Espera-se construir uma cartografia englobando os periódicos científicos do campo educativo na região Centro-Oeste, que possibilite perceber os avanços obtidos, as dificuldades de manutenção e regularidade da periodicidade, fissuras/lacunas nas avaliações Qualis e o impacto disso nos programas de pós-graduação stricto sensu em Educação, dessa mesma região, na atualidade.

Palavras-chave


Periódicos Científicos da Educação. Autoria-assinatura. Política do nome próprio. Qualis. Nietzsche/Derrida.

Referências


BARRADAS, M. M. Prefácio. In: FERREIRA, S. M. S. P.; TARGINO, M. das G. (Org.). Preparação de revistas científicas: teoria e prática. São Paulo: Reichmann & Autores, 2005. p. 13-16.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora, 1994. (Coleção Ciências da Educação).

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plataforma Sucupira: Qualis Periódicos. Diretoria de Avaliação. Documento de Área da Educação. Brasília, DF, 2013-2016. Disponível em: <https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/> Acesso em: 12 set. 2017.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, v. 1, 1995.

DERRIDA, Jacques. Otobiografías. La enseñanza de Nietzsche y la política del nombre propio - Ia ed. Traducción de Horacio Pons. Buenos Aires: Amorrortu, 2009. 96 p. (Colección Nómadas).

_____. Esporas: os estilos de Nietzsche. Tradução de Rafael Haddock-Lobo e Carla Rodrigues. Rio de Janeiro: NAU, 2013. 112 p.

______. Salvo o nome. Tradução de Nicia Adan Bonatti. Campinas: Papirus, 1995.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução e organização de Roberto Machado. 4. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

LOPES. Eliete Borges. Otobiografias-escutas-estilos-escritas para a autobiografia e a autoformação. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2010.

MONTEIRO, Silas Borges. Quando a pedagogia forma professores. Uma investigação otobiográfica. Cuiabá: EdUFMT, 2013

______. Otobiografia como escuta das vivências presentes nos escritos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 33, n.3, p. 471-484, set./dez. 2007

MONTEIRO, S. B. BIATO, E. C. L. Uma avaliação crítica acerca do método e suas noções. Revista de Educação pública, Cuiabá, v. 17, n. 34, p. 255-271, 2008.

NIETZSCHE, F. Ecce Homo: como alguém se torna o que é. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

OLINI, Polyana Cindia. Escritura, vida e constituição de si a arte do estilo. Dissertação (Mestrado em Educação) –  Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2012.

SOARES, Gracielle Gomes. A política do nome próprio no PAR/MT. 98 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2012.

SOUZA, Márcia Helena de Moraes. Da adesão à assinatura, a política do nome próprio no Plano de Ações Articuladas - PAR – em Mato Grosso. 141 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2015.