Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ESTUDANTES QUILOMBOLAS EM ESCOLAS URBANAS EM CHAPADA DOS GUIMARÃES/MT: A CONTRIBUIÇÃO DA GEOGRAFIA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
eliane das grassas rocha gonçalves

Última alteração: 07-10-18

Resumo


O presente projeto tem como tema o processo de ensino aprendizagem de alunos quilombolas pertencentes às comunidades de Lagoinha de Cima e Lagoinha de Baixo, que frequentam a escola urbana Ana Tereza Albernaz em Chapada dos Guimarães. Nosso objetivo é analisar como acontece o processo de ensino e aprendizagem desses estudantes considerando as condições socioeconômicas e culturais a que pertencem e a proposta educativa implementada pela escola urbana em que frequentam. Daremos maior relevância ao estudo da Geografia, por ser nossa área de formação e por considerá-la uma disciplina que pode fomentar a autonomia e ampliar a percepção de mundo desses estudantes. Para que esses propósitos sejam alcançados, faremos uso de instrumentos do Diagnóstico Rápido Participativo, com uma abordagem qualitativa, utilizando instrumentos como entrevistas semi-estruturadas, observação de eventos escolares, análise de documentos escolares, planejamentos anuais dos professores de Geografia e registros fotográficos. Ao concluir o estudo, teremos ampliado o conhecimento sobre as condições de vida e de aprendizado das comunidades quilombolas, o que poderá ensejar uma maior aproximação entre a escola e as comunidades e a proposição de estratégias pedagógicas que visam à prática de uma educação democrática e inclusiva, especialmente na área da Geografia. Por fim, o estudo pretende contribuir para que a população chapadense, em especial, e a população brasileira de um modo geral, possam conhecer a cultura e a identidade das comunidades quilombolas, garantindo seus direitos, respeitando a legislação vigente e contribuindo com a sua autonomia e desenvolvimento.

 


Palavras-chave


alunos quilomboals;aprendizagem;geografia

Referências


BANDEIRA, Maria de L. Território negro em espaço branco. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BOURDIEU, Pierre. A profissão de sociólogo. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e cultura Afro-Brasileira. CNP/CP 3/2004 aprovado em 10/03/03. Brasília: MEC/SEPPIR/SECAD/INEP, out 2004.

LOURENÇO, Sônia Regina. Comunidades Quilombolas de Chapada dos Guimarães. In: OLIVEIRA, O.M.de (Org). Direitos Quilombolas & Dever de Estado em 25 Anos da Constituição Federal de 1988. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia, 2016.

PARÉ, M.L, OLIVEIRA, L.P., VELLOSO, A.D. A educação para quilombolas: Experiências de São Miguel dos Pretos em Restinga Seca (RS) e da Comunidade Kalunga do Engenho li (GO). Caderno Cedes, Campinas, v.7, n 72, p.215-232,2007. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br>

SANTOS, R.E. dos. O ensino de Geografia do Brasil e as relações raciais: reflexões a partir da Lei 10.639/03. In: Santos, R.E.dos (Org). Diversidade, espaço e relações étnico-raciais: o negro na Geografia do Brasil. 2. Ed. Belo Horizonte: Editora Gutenberg, 2009.