Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Dispersão funcional da comunidade de peixes para ambientes aquáticos em mudanças hidrológicas.
Francieli Peruzzo Kaspary

Última alteração: 25-10-18

Resumo


A diversidade funcional é uma abordagem utilizada para identificar como os bichos atuam no ambiente. Em ecossistemas dinâmicos, esses papeis podem ser mais perceptíveis em algumas espécies, como os peixes, os ambientais como as planícies de inundação, podem modificar as funções ecológicas desempenhadas por conjuntos de espécies. Neste trabalho analisamos, qual a influência dos filtros ambientais com relação a dispersão funcional e se a dispersão funcional varia ao longo do período de inundação. O banco de dados é composto por coletadas realizadas no ano de 2009, com amostras mensais de janeiro a julho, em 22 pontos da grade do PPBio, durante o período de inundação, na região Norte do Pantanal Matogrossense. Selecionamos até 15 indivíduos de cada espécie para realizar as medidas morfométricas. As mudanças de dispersão funcional foram mais representativas, nas parcelas amostrais que permaneceram inundadas entre 50 a 60 dias e apresentaram maiores dispersões acima de 20cm de profundidade. A relação da dispersão funcional entre os filtros ambientais responderam a R-sq.(adj) =  0.282   Deviance explained = 32.6%, sendo para tempo, p= 0.01760 *) e para (profundidade, p= 0.00656 **). A análise de variância (ANOVA) mostrou um p=0.044 para todos os meses, porém, houve maior dispersão funcional nos meses de fevereiro, março e abril, mais ao fim do período de inundação houve uma estabilização na dispersão funcional. Nossos resultados sugerem que a filtragem ambiental aumenta e seleciona os traços funcionais a medida em que o ambiente é modificado. Houve diferenças na estrutura funcional dentro da comunidade, pois no início da inundação houve pouca dispersão funcional, fato que os filtros ambientais aqui estudados (profundida e tempo de duração nas poças) atuaram selecionando a dispersão funcional. Estudos em planície de inundação mostram mudanças na montagem da comunidade são  influenciada pelos filtros ambientais na seca, e nos períodos de cheia os filtros ambientais não apresentaram tantas influências, pois estão mais conectados e a dispersão aumenta.


Palavras-chave


Ictiofauna, diversidade funcional, montagem da comunidade

Referências


Villéger, S., Mason, N. W. W., & Mouillot, D. New multidimensional functional diversity indices for a multifaceted framework in Functional Ecology. Ecology, 2008.

Villéger, S; Miranda, J.R; Hernandez, D.F;  Mouillot, D. Contrasting changes inn taxonomic vs. functional diversity of tropical fish communities after habitat degradation. Ecological Applications, 2010.

Villéger, S; Brosse, S; Mouchet, M; Mouillot, D; Vanni, J.M. Functional ecology of fish: current approaches and future challenges. Aquatic Sciences, 2017.

Violle, C; Navas, M-L; Vile, D; Kazakou, E; Fortunel, C; Hummel, I ; Garnier, E. Let the concept of trait be functional! Oikos, 2007