Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
RESISTÊNCIA À FORÇA DE COMPRESSÃO E ANÁLISE DA MORFOLOGIA INTERNA DAS SEMENTES DE ALGODÃO
Myllena Teixeira Martins, Renildo Luiz Mion

Última alteração: 26-10-18

Resumo


O algodão é uma das principais culturas cultivas no Brasil e no mundo, por isso busca-se continuamente por aumento na produtividade e melhorias na qualidade da fibra. Os parâmetros de qualidade da fibra podem ser afetados pela presença de impurezas, sendo que os fragmentos de sementes (SCF) são um dos principais contaminantes e provocam grandes problemas para a indústria têxtil durante o processo de fiação e tingimento do tecido. Os SCF são partes do revestimento das sementes que foram quebradas da superfície de sementes maduras ou imaturas durante o processamento mecânico. Existem alguns estudos que apontam as possíveis causas da origem desses contaminantes seja ela genética, pois algumas variedades são mais frágeis e propensas a formar SCFs ou devido aos processos mecânicos. Diante disso, objetivou-se correlacionar a resistência das sementes de algodão submetidas a força de compressão e a espessura do seu tegumento. As variedades de algodão utilizadas foram: FM 940 GLT, IMA 7201 B2RF, IMA 6501 B2RF, TMG 47 B2RF, IMA 2140, IMA 2129, IMA 7501 WS, e FM 975 WS. Realizou-se o teste de compressão no laboratório da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis, com o auxílio de uma máquina de ensaio universal, para isso cada amostra permanceu durante 7 dias no interior de uma B.O.D com umidade a 65% ± 2 e temperatura a 20°C ± 1. Para o ensaio de compressão as sementes foram postas na posição “deitada” entre placas paralelas e cada semente foi analisada separadamente. Foram obtidos dados de força e deformação através do ponto de ruptura da curva formanda durante o ensaio. Em seguida, obteve-se imagens das sementes pela análise de raio x e posteriormente essas imagens foram processadas no software ImageJ para mensurar a  espessura do tegumento da semente. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, com oito tratamentos e 4 repetições de 25 sementes, totalizando 32 parcelas. Os resultados foram submetidos à análise da variância (teste F), sendo a comparação de médias feita pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade, utilizando o programa SISVAR e por fim aplicou-se a correlação de Pearson entre as variáveis analisadas. Conclui-se que houve uma considerável correlação positiva entre a força de ruptura e a espessura do tegumento das sementes. Assim, sementes com tegumento mais espesso são mais resistentes quando submetidas a uma determinada força.


Palavras-chave


teste de compressão; raio x; ImageJ