Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Compartilhar informações e construir conhecimentos online: o uso de novas mídias para orientar consumidores
SOLANGE DE FÁTIMA WOLLENHAUPT, Lúcia Helena Vendrúsculo Possari

Última alteração: 04-10-18

Resumo


As tecnologias interferem nos modos de ser e fazer das sociedades e impactam suas culturas. Nas últimas décadas, a internet transformou a vidas das pessoas, alterando a forma com que nos relacionamos e interagimos com outros indivíduos e com o mundo, como nos comunicamos, distribuímos informações e produzimos conhecimentos. No entanto, apesar de a cibercultura não ser mais novidade - e dos computadores, internet e redes sociais estarem cada vez mais presentes em nosso dia a dia - ainda estamos conhecendo e testando suas possibilidades e nos adaptando a essa nova forma de viver. ‘Pesquisar no Google’ parece ser a ordem do dia: usamos a ferramenta tanto para atividades mais simples, como descobrir o preço de algum produto ou serviço que desejamos adquirir e para saber se quem comprou aprova ou desaprova a mercadoria e que defeitos ela comumente apresenta; como também para atividades mais complexas, como buscar orientação sobre que direito temos como cidadãos consumidores, o que fazer e quem devo procurar se o sapato, o celular, o notebook ou o carro que eu comprei apresentou ‘defeito’. É nesse contexto que propomos esta pesquisa, cujo objetivo principal é refletir sobre como acontece a troca de informações e a produção e conhecimentos na cibercultura. O trabalho integra projeto de doutorado em andamento no Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (ECCO) e investiga se e como as novas mídias, em especial as redes sociais - como o facebook, instagram, whatsapp, twitter, entre outros - podem ser utilizadas para levar informações aos consumidores e orientá-los sobre seus direitos e deveres nas relações de consumo. Além de pesquisar e discutir conceitos essenciais ao contexto da cibercultura, das possibilidades de interação e interatividade proporcionados pela rede e do uso de novas mídias para a produção do conhecimento, o trabalho também objetiva construir um projeto de intervenção-ação que poderá ser posteriormente aplicado por órgão que atua na defesa do consumidor. A intenção é atingir um público maior e mais diversificado. Partimos do pressuposto de que, no mundo digital em que vivemos, pensar o compartilhamento de informações e a produção de conhecimentos implica necessariamente em refletir, também, em como as pessoas utilizam as novas mídias em seu quotidiano. Compreender como se dá o processo de aprendizagem nesse ‘mundo de possibilidades’ online passa a ser primordial para promover a cultura da cidadania. Daí a necessidade de investigar se e como as novas mídias podem ser utilizadas para levar informações aos consumidores e orientá-los sobre seus direitos e deveres nas relações de consumo.

Palavras-chave


Cibercultura, construção de conhecimento, direito do consumidor