Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
FÍSICA APLICADA AO ENSINO DE TÉCNICAS POLICIAIS
Jefferson dos Santos Duca

Última alteração: 05-10-18

Resumo


O estado de Mato Grosso possui alto índice de criminalidade, então uma capacitação e especialização de excelência com significado e importâncias de mesmo peso à atividade fim de servir e proteger, exige ferramentas de ensino eficazes.

Esta pesquisa relaciona conhecimentos físico teórico com o ensino de técnicas policiais na investigação se tal método pode através da aprendizagem significativa e aprendizagem significativa crítica, facilitar o processo de aprendizagem e melhora na eficiência e segurança durante a execução da técnica.

A pesquisa está sendo desenvolvida desde 2016, quando houve necessidade de incremento na grade de instrução de especialização e capacitação dos policiais do batalhão ROTAM- MT.

Esta pesquisa se concretizou devido a área de atuação deste autor que se divide com a de policial do referido batalhão. Então a formatação do fascículo ocorreu atendendo a real aplicação tornando-o potencialmente significativo conforme Ausubel caracteriza, que um material para ser significativo deve ser possível se relacionar com a estrutura cognitiva do aprendiz. O público desta pesquisa são servidores públicos: policiais militares; agentes do sistema penitenciário; bombeiros militares; policiais civis e inclusive agentes de segurança pública de outro estado.

As aplicações dos conhecimentos da física, ocorreu por meio de um fascículo contendo conceitos físicos associados a técnica policial, e dividido em três disciplinas:

-Condução de veículo de urgência e emergência (viatura oficial).

-Física aplicada à técnica de controle e submissão de infrator da lei.

-Uso de arma de energia conduzida (SPARK).

A pesquisa se desenvolve à luz da aprendizagem significativa, para tanto, como atividade inicial é aplicado um questionário prévio a fim de investigar os subssunçores dos aprendizes, e ao final das instruções é oferecido um exercício em que os aprendizes devem solucionar em torno de vinte questões que relaciona a técnica policial aos conceitos físicos. Os resultados das avaliações servem de base de dados para pesquisa, além de entrevistas.

Sob uma analise simplificada que considera dados estatísticos obtidos das notas das avaliações prévia e final, é possível afirmar que o método de associar conceitos físicos à técnica apresentou um aumento considerável na média dos aprendizes tanto na prova teórica quanto na prova prática.

Em uma outra vertente, foi escolhido turmas com características aproximadas de pessoal, sendo que em uma delas não foi ministrado conceitos físicos, o resultado das avaliações teóricas e prática deste grupo de aprendizes foi abaixo das que tiveram instrução associada a física.

A aceitação do produto educacional é percebida, pois hoje compõe o currículo obrigatório nos seguintes cursos: Curso de controle e Submissão- ROTAM; Curso de Comboio escolta e contra emboscada – SISPEN e Curso de intervenção rápida - SISPEN.

Com a intenção de melhorar a formação dos agentes de segurança pública é importante agregar a física como base teórica de muitos ensinamentos técnicos. E para futuros trabalhos, esse poderá nortear aplicação de conhecimentos científicos à diferentes técnicas que hoje desconsidera o aporte teórico na facilitação do ensino aprendizagem.

Palavras-chave


ensino;física;técnicas;policial

Referências


AUSUBEL, D.P.; NOVAK, J.D. e HANESIAN, H. (1980). Psicologia educacional. Rio de Janeiro, Interamericana. Tradução para português, de Eva Nick et al., da segunda edição de Educational psychology: a cognitive view

AUSUBEL, D.P. (1968). Educational psychology: a cognitive view. New York, Holt, Rinehart, and Winston.

AUSUBEL, D. P., The Acquisition and Retention of Knowledge: A Cognitive View. Nova York: B. V., 2000.

RADÉ, T. S., O Conceito de Força na Física – Evolução Histórica e Perfil Conceitual, 2005, 173f, Tese (Mestrado) – Universidade Luterana do Brasil, Canoas.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem Significativa Crítica - Instituto de Física UFRGS, Porto Alegre, 2005.

Nussenzveig, H. M; Curso de física básica 1: Mecânica, Edgard Blucher

http://www.infoescola.com/fisica/forcas-no-plano-inclinado/. Acesso em 20/09/2017