Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
CULTURA ESCOLAR E CORPO NA PEDAGOGIA WALDORF: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE CUIABÁ-MT
ELIANE SOUZA OLIVEIRA DOS SANTOS, Cleomar Ferreira Gomes

Última alteração: 14-10-18

Resumo


A pesquisa que ora se apresenta pretende investigar os sentidos e os significados da concepção de corpo dos alunos de uma escola que adota a pedagogia de Rudolf Steiner. Na “Educação Waldorf” os diversos componentes curriculares se articulam em uma dinâmica na qual predomina a vivência e a experiência. Nesse sentido, intenta-se saber quais e como são essas práticas escolares? Quais são os ritos, os espaços e tempos vividos? Qual o lugar que o corpo ocupa nessa pedagogia? Como se configura a Educação Física? Quais são os fundamentos e as práticas pedagógicas adotadas? Essas são as questões que orientam o estudo, cujos objetivos, strito sensu, são: a) descrever o cotidiano das salas de aula, da quadra, do pátio, dos demais espaços escolares e de ações pedagógicas; b) desvelar nos corpos enquanto aprendem, como se comunicam e quais linguagens corporais os alunos manifestam; c) observar e descrever a linguagem corporal constituidora dos ritos escolares na pedagogia Waldorf; d) conhecer os modos de participação corpórea nas aulas de Educação Física. Conforme os princípios e os fundamentos da pedagogia Waldorf, as práticas pedagógicas permeiam a área da linguagem em componentes artísticos, rítmicos, lúdicos e expressivos. Nesse sentido, o objeto de estudo serão as práticas corporais ensinadas, aprendidas ou as que emergirem nos momentos e espaços escolares e nas aulas de Educação Física. A base teórica do estudo será construída a partir da revisão literária das matrizes teórico-científicas do método e autores que discorrem sobre os sentidos e significados atribuídos ao corpo no espaço escola. Esta é uma pesquisa fenomenológica, cujo esforço maior será em descrever, muito mais que explicar ou analisar. Assim, o planejamento metodológico do projeto da pesquisa assenta-se na descrição (pesquisa descritiva) e compreensão dos ritos e no cotidiano da escola Waldorf que considera o sentir, o pensar e o agir, nos diferentes níveis de ensino, em todos os componentes curriculares. Nesse sentido, supomos que a pesquisa qualitativa traria a abrangência necessária ao estudo do fenômeno. Como a pesquisadora já está familiarizada com o ambiente a ser descrito, a técnica de estudo de caso, do tipo histórico-organizacional, observacional e participante também se apresenta como um relevante procedimento. As nuances da pesquisa poderão ser definidas junto à unidade escolar, conforme interesse mútuo e a complexidade aumentará de acordo com o aprofundamento do assunto. Para a coleta de dados empíricos serão utilizadas técnicas da pesquisa do tipo etnográfica: a observação livre e anotações de campo (em diários) das aulas, eventos, festas, aulas de educação física e do meio físico; registros de diálogos, comportamento, ações e atitudes e da entrevista semiestruturada. O lócus da pesquisa será uma escola de Ensino Fundamental do Estado de Mato Grosso vinculada à Federação de Escolas Waldorf do Brasil. Os participantes da pesquisa serão os alunos do 1º. ao 8º. ano (definidos pelas professoras ou por seus pares), as professoras e os gestores. Todos os envolvidos assinarão um Termo de Consentimento e/ou de Assentimento, aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa – UFMT e registrado na Plataforma Brasil.


Palavras-chave


Pedagogia Waldorf; Corpo; Cotidiano escolar;