Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ESTUDO DOS EFEITOS COMPORTAMENTAIS E COGNITIVOS DO EXTRATO DE Passiflora coccínea Aubl.
Jaqueline Rigotti Kubiszeski, Patricia Costa Marisco, Pacífica Pinheiro Cavalcanti, Carla Regina Andrighetti, Claudia dos Reis, Dênia Valladão

Última alteração: 05-10-18

Resumo


Nootrópicos são substâncias que promovem o aumento da atividade cognitiva humana especialmente em relação à capacidade de manter as informações recebidas integrando as funções do sistema nervoso central. Essas substâncias atuam de maneira a aumentar a disponibilidade de suprimentos neuroquímicos como hormônios, enzimas e neurotransmissores. As drogas com efeitos antioxidantes podem ser uma alternativa para preservar as atividades cognitivas reduzindo o dano oxidativo e promovendo recuperação nas desordens neurodegenerativas. Dentre os distúrbios mentais com maior prevalência na atualidade a Doença de Alzheimer causa grande preocupação, pois é uma doença neurodegenerativa, progressiva e não tem cura, e está relacionada a outros distúrbios mentais como a ansiedade, depressão e perda de memória.  Um vegetal de crescimento natural e abundante no Brasil, principalmente nas regiões amazônicas e de transição Amazônia cerrado, é conhecida como “maracujá do mato” ou “flor da paixão”, Passiflora coccínea Aubl. É uma planta ornamental, trepadeira com frutos não comestíveis. As folhas das espécies de Passiflora apresentam substâncias bioativas relacionadas a atividades antioxidantes, como os polifenóis. Estudos indicam atividades analgésica e ansiolítica atribuídas à presença de flavonóides. Além disso, foram relatadas atividades neuroprotetora, anti-inflamatória e antidepressiva em extratos de folhas, frutos e caules de plantas desse gênero. Portanto, é de interesse a exploração do extrato de folhas e caule do Maracujá do Mato como potencial uso nootrópico, na reversão eficaz da perda de memória, na depressão e ansiedade em modelo experimental animal e na possível utilização para aumento da capacidade cognitiva em seres humanos que apresentam a DA e em pessoas que ainda não apresentam nenhuma disfunção cerebral. O principal objetivo deste projeto, então, é a avaliação dos efeitos comportamentais e cognitivos do extrato de Passiflora coccínea. Serão utilizados como controle positivo amnésico o Bromidrato de escopolamina (efeito anticolinérgico temporário provocando perda de memória nos animais); controle positivo ansiolítico o Diazepam (indicado para aliviar ansiedade ou estresse agudo); controle positivo nootrópico o Piracetam (indicado no tratamento de perda de memória e distúrbios de atenção) e controle positivo antidepressivo a Imipramina (indicada no tratamento de depressão). Os animais, camundongos adultos jovens divididos em grupos (n=8), serão submetidos aos testes comportamentais com objetivo de avaliar a eficácia do extrato de Passiflora coccínea frente à ansiedade nos testes do campo aberto e do labirinto em cruz; à memória nos testes do reconhecimento de objetos e da esquiva inibitória e à depressão no teste do nado forçado. Para a avaliação do extrato serão administradas 3 doses diferentes do extrato hidroalcoólico de P. coccínea em cada grupo correspondente: 100, 200 e 300 mg/kg. Após 28 dias de tratamento aplicar-se-ão os testes comportamentais. Os resultados serão analisados por meio de ANOVA e post hoc Teste de Tukey. Com este estudo, espera-se observar efeitos farmacológicos que justifiquem estudos posteriores com esta espécie vegetal e potencial uso em humanos.


Palavras-chave


Nootrópicos; Alzheimer; Passiflora coccinea

Referências


 

A PRIMEIRA Paciente Augst D. In: ALZHEIMER MED – INFORMAÇÃO E SOLIDARIEDADE. 2011. Disponível em: <http://www.alzheimermed.com.br/biografia-alois-alzheimer/a-primeira-paciente-august-d> Acesso em:  19 Maio 2017.

POPULAÇÃO mundial de idosos duplicará até 2050. EFE NAÇÕES UNIDAS. 2015. Disponível em: <http://www.efe.com/efe/brasil/portada/popula-o-mundial-de-idosos-duplicara-ate-2050-segundo-estudo/50000237-2708257>. Acesso em: 24 Maio 2017.

TEIXEIRA, J.B. et al. Doença de Alzheimer: estudo da mortalidade no Brasil. 2000-2009. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 31, p. 1-12, abr, 2015.

CARDOSO, B. R.; COZZOLINO, S. M. F. Estresse oxidativo na Doença de Alzheimer: o papel das vitaminas C e E. Nutrire: Soc. Bras. Alim. Nutr. J. Brazilian Soc. Food Nutr., São Paulo, SP, v. 34, n. 3, p. 249-259, dez. 2009.

CAVALCANTI, J. L. S. ENGELHARDT, E. Aspectos fisiopatológicos da doença de Alzheimer esporádica. Revista Brasileira de Neurologia, Rio de Janeiro, v. 48. Nº 4, 2012.

ANNES, M. et al. Amiloidose. Revista de Neurociências, v. 5, p. 07-13, 1997.

CERQUEIRA, A. A. B. Estratégias farmacológicas para alterações precoces do comportamento na doença de Alzheimer. Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal, p. 16-17, 2009.

KREUTZ, F. Efeito Do Peptídeo Beta-Amiloide Sobre A Biossíntese De Gagliosídios E Avaliação Da Atividade Neuroproterora do GM1. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, p. 2 ,2010.

TORRES, K. C. L. et al. Biomarcadores Na Doença De Alzheimer. Geriatria e Gerontologia, São Paulo, SP, v. 6, p. 273-281, 2012.

GEMELLI, T. et al. Estresse oxidativo como fator importante na fisiopatologia da doença de Alzheimer. Revista Uniara, Araraquara, SP, v.16, n.1, 2013.

PEREIRA, P. M. C. M. Doença de Alzheimer - Perspectivas de tratamento. Covilhã. Universidade da Beira Interior, p. 20 – 36, 2013.

NADE, V. S. et al. Cognitive enhancing and antioxidante activity of ethyl acetate soluble fraction of the metanos extract of Hibiscus rosa sinensis in scopolamine induced amnesia. Indian J Pharmacol, Índia, v. 43, n. 2, p. 137–142, 2011.

COSTA, R. D. F. et al. Aquisição de medicamentos para a Doença de Alzheimer no Brasil: uma análise no sistema federal de compras, 2008 a 2013. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 12, p.3827-3838, 2015.

UNE, H. D. EJAJ, M. A. TARDE, V. A. Nootropic Activity of Sapomines obtaines from Tinospora Cordifolia Stem in scopolamine induced amnesia. International Journal of Pharma Research & Review, Aurangabad, Maharshtra, Índia, v. 3 n. 2, p. 28-35,  2014;

BHARTI, V. et al. Evaluation of the Memory and Learning Improving Effects of Benincasa hispida Seeds in Mice. Pharmacologia, Índia, v. 4, p. 249-253, 2013.

SHEIKH, R. A. et al. Study on nootropic activity of alcoholic extracts of flower of Securinega leucopyrus (AEFSL) in mice. Scholars Research Library. Der Pharmacia Lettre, Gondia, Maharashtra, Índia, v 6 p. 67-71, 2014.

APPOLINÁRIO, P. P. et al. Metabolismo, oxidação e implicações biológicas do ácido docosahexaenoico em doenças neurodegenerativas. Quim. Nova, São Paulo, vol.34, No.8, 1409-1416, 2011.

JUSTO, O. R. et al.  Avaliação do potencial antioxidante de extratos ativos de plantas obtidos por extração com fluido supercrítico.  Quim. Nova, Campinas, SP, Vol. 31, No. 7, p. 1699-1705, 2008.

MEDEIROS, R. A Doença De Alzheimer Como Um Processo Neuroinflamatório. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC,  p. 24-25, 2007.

BARBOSA, K. B. F. et al. Estresse oxidativo: conceito, implicações e fatores modulatórios. Revista Nutrição, Campinas, SP, v. 23, n. 4, p. 629-643, 2010.

FOOD INGREDIENTS BRASIL. Extratos Vegetais. N.11, 2010. Disponível em: <WWW.REVISTA-FI.COM>. Acesso em 28 Maio 2017.

PINTO, W. B. V. R. et al. Teste de labirinto em cruz elevado: aplicações e contribuições no estudo de doenças neuropsiquiátricas em modelos animais. RESBCAL, São Paulo, v.1 n.1, p. 102-120, 2012.

LORENZI, H. MATOS, F. J. A. Plantas medicinais do Brasil: nativas e exóticas. Instituto Plantarum, Nova Odessa, S P, 2. ed., p. 409-412, 2008.