Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA ACOMPANHAMENTO E AUXÍLIO DO DIAGNÓSTICO MORFOLÓGICO DE CÂNCER DE PELE EM HUMANOS
SIDNEY Ribeiro Andrade, Marcos Correa Dias

Última alteração: 05-10-18

Resumo


O câncer de pele é um dos tipos mais frequentes de neoplasias no território brasileiro. Embora o melanoma represente apenas 3% dos novos casos de câncer de pele, essa lesão é frequentemente considerada a mais grave neoplasia de pele devido à sua alta possibilidade de metástase. A prevenção é a melhor forma de se tratar qualquer tipo de neoplasia, particularmente um melanoma maligno que, apesar de ser uma lesão superficial e de fácil ressecção cirúrgica, apresenta elevadas taxas de mortalidade em todo o território nacional. Esse fato pode estar relacionado à dificuldade dos dermatologistas em prever o comportamento das lesões melanocíticas iniciais. Nos últimos anos, o crescimento exponencial da capacidade de processamento dos computadores tem sugerido a aplicação de técnicas computacionais inovadoras para auxiliar o diagnóstico clínico de tumores em estágios iniciais do desenvolvimento neoplásico. O presente projeto foi desenhado com o objetivo de desenvolver uma ferramenta computacional para auxiliar os dermatologistas no acompanhamento e diagnóstico de câncer de pele em humanos. Para o desenvolvimento do software, foi utilizada imagens de nevos, nevos displásicos e melanomas obtidas do: (a) do acervo particular da dermatologista Dra. Maria Cecília Bruno, (b) de um banco de dados online da ISDIS e (c) do aplicativo de coleta de dados que foi desenvolvido no presente trabalho. O aplicativo de coleta de dados foi desenvolvido para plataforma mobile com intuito de capturar imagens das lesões melanocíticas utilizando a própria câmera do celular e suporte de distanciamento acoplado. Foram utilizadas três imagens das lesões, sendo imagem 1 (inicial), imagem 2 (após 3 meses) e imagem 3 (após 6 meses). Em seguida, foi desenvolvido um algoritmo para processamento dessas três imagens de cada lesão, extraindo as principais características que serão utilizadas para sua classificação na regra do ABCD do câncer de pele. Testamos dois tipos de microscópio acoplado a câmera de celular para a obtenção das imagens com o aplicativo desenvolvido para o presente trabalho. Determinamos que a melhor opção foi a utilização de um suporte fixo com distância entre a câmera e a lesão de 8 cm. O algoritmo desenvolvido no presente trabalho extraiu adequadamente as características de borda, assimetria, histograma de cores, calculou a área e demonstrou a evolução das lesões nos 3 momentos (inicial, 3 meses e 6 meses), sendo capaz de sobrepor as imagens, mostrando visualmente a evolução da lesão para o usuário do software. Atualmente, o algoritmo continua em desenvolvimento, sendo que na próxima etapa será feita a quantificação dos parâmetros referentes à assimetria e cor (histograma) e serão realizados testes com mais imagens obtidas no consultório particular da dermatologista. Os resultados já obtidos mostraram informações científicas inovadoras e relevantes a respeito da capacidade de um algoritmo de reconhecer características morfológicas específicas em imagens de lesões melanocíticas neoplásicas e pré-neoplásicas de pele e compilá-las em uma única plotagem gráfica visual que facilitará a tomada de decisão do dermatologista a respeito do diagnóstico e prevenção do câncer de pele do tipo melanoma.


Palavras-chave


câncer de pele; melanoma, processamento digital de imagens (PDI)