Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
INFLUÊNCIA DO Azospirillum NOS COMPONENTES DE PRODUÇÃO DO MILHO SOB 2 DOSES DE UREIA COM O USO DE INIBIDORES DE NITRIFICAÇÃO E UREASE
Betania Florencio de Matos, Bruce Raphael Alves Rodrigues, Anderson Ferreira, Antonio Shoity Okada, Rafael Alanis Clemente

Última alteração: 15-10-18

Resumo


Uma das práticas de manejo fundamentais para se atingir altas produtividades na cultura do milho é a adubação nitrogenada. A ureia é a principal fonte de nitrogênio (N) utilizada no Brasil e no mundo, possuindo alta concentração de N (45%) e baixo custo por unidade do nutriente.  Entretanto, o N aplicado superficialmente torna-se susceptível a perdas por volatilização de amônia (NH3) e lixiviação de nitrato (NO3-), além da emissão de gases de efeito estufa gerados no processo de nitrificação do N mineral. Vários estudos apontam o uso de técnicas que viabilizem a utilização racional de N, a exemplo dos fertilizantes estabilizados com adição de inibidores de nitrificação e urease. Outra alternativa que pode viabilizar uma menor aplicação de fertilizantes químicos nitrogenados é o uso dos inoculantes biológicos (Azospirillum) que fixam o N2 atmosférico, suprindo parcialmente as necessidades de N em gramíneas. O objetivo deste trabalho foi avaliar os componentes produtivos na cultura do milho, submetidos a diferentes combinações de ureia com os inibidores de nitrificação e urease, aplicadas em cobertura. Os tratamentos foram os seguintes: 1 – Testemunha (sem adubação de cobertura), 2 – 100% de Nitrogênio, 3 - 100% de Nitrogênio + inibidor de uréase, 4 - 100% de Nitrogênio + inibidor de uréase + inibidor de nitrificação, 5 - 100% de Nitrogênio + inibidor de nitrificação, 6 – 75% de Nitrogênio + inibidor de uréase + inibidor de nitrificação, 7 - 75% de Nitrogênio. As doses de 100% e 75% de N, referiram-se à aplicação de 120 Kg ha-1 e 90 Kg ha-1 de N respectivamente. O inibidor de uréase utilizado foi o NBPT (Tiofosfato de N-(n-butil) triamida) produzido por Agrotain International, na dose de 530 mg de NBPT por Kg de N da fonte, e o inibidor de nitrificação DCD (Dicianodiamida), contendo 650 g kg-1 de N de grau analítico (Sigma Aldrich), em forma de pó, usado na porção de 5% da fonte de N aplicado (ureia), além da comparação dos referidos tratamentos, com e sem o uso de inoculante biológico (Azospirillum). Para isso, foi plantado no campo experimental da Embrapa Agrossilvipastoril, no mês 03/2017 e 02/2018, um experimento em esquema de parcelas subdivididas com 4 blocos casualizados e 4 repetições cada. Os tratamentos foram aplicados em V6 e os dados avaliados foram: Matéria seca de parte aérea e raízes, diâmetro de colmo, altura de plantas, altura de inserção de espigas, número de folhas por planta, índice de clorofila, espectro de reflectância. Após a colheita foram avaliadas: Peso de mil sementes, número de fileiras por espiga, número de grãos por fileira. Todos os dados dos componentes produtivos foram tratados e encontram-se em fase de confecção das análises estatísticas, aos quais pretende-se demonstrar na apresentação pública do referido trabalho.

Palavras-chave


Volatilização; Nitrificação; Produtividade de milho, Inoculante biológico