Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Desenvolvimento vegetativo, produtividade e composição do óleo essencial de Piper aduncum L. (Piperaceae) em função dos locais de coleta de sementes
Ludmila Porto Piton, Maria de Fátima Barbosa Coelho

Última alteração: 23-10-18

Resumo


Piper aduncum (Piperaceae) conhecido popularmente como "pimenta-de-macaco" é espécie que vem despertando atenção e interesse por parte de pesquisadores pelo uso medicinal, além disso, esta planta tem grande importância econômica por possuir alto teor de óleo essencial, rico em compostos bioativos que vem sendo testado com êxito como fungicida, moluscida, acaricida, bactericida e larvicida, com a vantagem de ser um produto biodegradável. Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo contribuir para o sistema de cultivo da espécie P. aduncum, desde o desenvolvimento vegetativo até a produtividade em função de diferentes locais de coletas de sementes de plantas matrizes e as épocas de cortes. Os experimentos serão realizados em três etapas. Na primeira etapa será realizada a produção de mudas, no município de Várzea Grande - MT. A segunda etapa será realizada em casa de vegetação da Universidade Federal de Mato Grosso. A terceira etapa será realizada no Parque de Desenvolvimento Tecnológico da Universidade Federal do Ceará. As sementes de P. aduncum serão coletadas em dez locais distintos no estado de Mato Grosso. Na primeira etapa, as sementes serão semeadas em copos descartáveis. Aos 90 dias após a semeadura, serão retiradas algumas mudas de cada parcela para a realização das avaliações morfológicas. Neste período, as mudas, com aproximadamente 5 cm, serão transplantadas para tubetes, onde permanecerão por três meses, posteriormente, será avaliado o desenvolvimento morfológico das mudas. Na segunda etapa, as plantas com aproximadamente 15 cm de altura serão transplantadas para vasos de plásticos, onde ficará por um período de 18 meses. Serão realizadas três épocas de cortes, em cada época de corte serão retiradas algumas plantas para as análises morfológicas e avaliações de teor, produtividade e composição do óleo essencial, as plantas serão cortadas a 40 cm do nível do solo nas seguintes idades: 6 meses, 12 meses, 18 meses após o transplantio. Na terceira etapa, para a extração do óleo essencial, serão utilizadas 100 g de folhas frescas das plantas, utilizando-se o aparelho tipo Clevenger, através do processo de hidrodestilação.  O teor de óleo essencial será calculado em função do volume de óleo obtido dividido pela massa seca das folhas e o resultado será expresso em percentagem. Para o cálculo de produção de óleo essencial, será multiplicada a produção de folhas obtida pelo teor de óleo em cada parcela. Para a identificação e quantificação dos constituintes do óleo essencial de cada parcela, será utilizada cromatografia gasosa com detector de ionização de chama e cromatografia acoplada à espectrometria de massas, respectivamente. Espera-se com este trabalho a descoberta das procedências que apresentam sementes de P. aduncum com maior qualidade, estabelecimento e desenvolvimento das plantas, a época de corte das plantas para maior produtividade do óleo essencial e quantidade de compostos químicos majoritários, além da contribuição para o avanço da pesquisa básica com as espécies nativas dos Biomas Brasileiros e a disponibilidade de uma coleção de acessos de P. aduncum para estudos posteriores.

 


Palavras-chave


produção de mudas; compostos bioativos; pimenta-de-macaco

Referências


BASTOS, C. N. Efeito do óleo de Piper aduncum sobre Crinipellis perniciosa e outros fungos fitopatogênicos. Fitopatologia Brasileira, v. 3, n. 22, p. 441-443, 1997.

 

CAVALCANTE, M. de J. B. (Ed.). Cultivo de pimenta longa (Piper hispidinervum) na Amazônia Ocidental. Rio Branco: Embrapa Acre, 2002. 29p. (Embrapa Acre. Sistemas de Produção, 1).

 

COIMBRA, R. Manual de fitoterapia. 2 ed. Belém: CEJUP, 1994.

 

CORRÊA JÚNIOR, C.; MING, L. C.; SCHEFFER, M. C. Cultivo de plantas medicinais, condimentares e aromáticas, 2 ed., Jaboticabal: FUNEP, p. 162, 1994.

 

DICKSON, A.; LEAF, A. L.; HOSNER, J. F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, Canadá, v. 36, n. 1, p.10-13, 1960.

 

FAZOLIN, M. et al. Toxicidade do óleo de Piper aduncum L. a adultos de Cerotoma tingomarianus. Neotropical Entomology, v. 34, p. 485-489, 2005.

 

GUIMARÃES, E. F.; GIORDANO, L. C. S. Piperaceae do nordeste brasileiro: Estado do Ceará. Rodriguesia, Rio de Janeiro, v. 55, n. 84, p. 21-46, 2004.

 

LORENZI, H; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, p. 378, 2002.

 

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, Madison, v. 2, n. 1, p. 176-177, 1962.

MAIA, J. G. S. et al.  Constituintes of the essential oil of Piper aduncum L. growing in the Amazon Region. Flavour and Fragrance Journal, v. 13, p. 269-272, 1998. PITON, L. P. et al. Natural insecticide based-leaves extract of Piper aduncum (Piperaceae) in the control of stink bug brown soybean. Ciência Rural, Santa Maria, v. 44, n. 11, p. 1915-1920,  2014.

 

VAN DEN BERG, M. E. Plantas medicinais na Amazônia: Contribuição ao seu conhecimento sistemático. 2 ed. Belém: Museu Paraense Emílio. 1993. Goeldi.