Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
CIÊNCIAS NATURAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL: O Pantanal Mato-grossense como Ambiente de Ensino e Aprendizagem
Eliane Morigi, Irene Cristina de Mello

Última alteração: 14-10-18

Resumo


O presente trabalho se insere na pesquisa de mestrado em desenvolvimento junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, na linha de pesquisa Educação em Ciências e Educação Matemática. Este resumo tem como finalidade a apresentação parcial da pesquisa em desenvolvimento, exibindo o contexto da investigação e evidências de possíveis resultados. O problema de pesquisa encontra-se estruturado da seguinte forma: Quais as contribuições para a educação básica do ensino de conceitos de Ciências Naturais no contexto do Pantanal Mato-grossense? Dessa questão desdobram-se outras, tais como: Quais as contribuições que os estudos sobre a história das Ciências Naturais no Brasil oferece para o ensino e aprendizagem no ensino fundamental? Por que o Pantanal Mato-grossense pode se constituir em ambiente de ensino e aprendizagem de conceitos das Ciências Naturais? Como ocorrem o ensino e aprendizagem de Ciências Naturais em uma escola na região do Pantanal, em seu Projeto Político Pedagógico (PPP) e no livro didático de Ciências? Para tanto, ancoramo-nos em estudos sobre o ensino de Ciências Naturais no Brasil elaborados por Krasilchik (1987; 1992; 2000), Auler; Delizoicov (2001), Rosa (2005), Santos; Greca (2006), Chassot (2006), Untar (2008), entre outros. Em relação a abordagem da contextualização, Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS), buscamos suporte em Brito (2008), Santos e Schnetzler (2010), Santos e Auler (2011). Ainda, Delizoicov, Angotti e Pernanbuco (2002), contribuem com sugestões de práticas pedagógicas de abordagens temáticas dos conceitos científicos. Discussões sobre os livros didáticos, sua importância para a educação no Brasil e seus problemas teóricos-metodológicos, entre os quais, Mortimer (1988), Núñez et al. (2003) e Turin (2013). Caracterizamos o bioma Pantanal e estudos que demonstram sua potencialidade para o ensino e aprendizagem. Para o desenvolvimento metodológico da pesquisa e com o propósito de responder à questão norteadora, delineamos uma pesquisa qualitativa e exploratória, com elementos de estudo de caso apoiados nas obras de Bogdan e Biklen (1994). Analisamos o Plano Político Pedagógico (PPP) e a coleção de livros de Ciências, denominado Projeto Araribá: Ciências para o ensino fundamental. Apresentamos a caracterização pessoal, acadêmica e profissional da docente, sujeito da pesquisa, abordamos a proposta didático-pedagógica que enfoca o Pantanal como contexto de ensino e aprendizagem, seu planejamento, execução na sala de aula e na aula de campo, e avaliação do ensino e aprendizagem dos alunos, além, da perspectiva da professora em relação à essa proposta. Na etapa seguinte de desenvolvimento da investigação faremos as análises das entrevistas feitas com a professora no início e final da atividade pedagógica que utilizou o Pantanal como ambiente de ensino e aprendizagem. Quanto aos resultados, até o momento, temos evidências de que o contexto do Pantanal Mato-grossense contribuiu para o ensino dos conceitos de Ciências Naturais, em especial os conceitos químicos, pois, a perspectiva da professora sobre a proposta é que os alunos irão conseguir relacionar os conceitos trabalhados com o contexto do Pantanal, e ainda, que a aula de campo possui intencionalidade, diferente de ser apenas mais um passeio, favorecendo assim, a aprendizagem dos alunos.


Palavras-chave


Ensino de Ciências Naturais; Conceitos Químicos; Pantanal Mato-Grossense.

Referências


AULER, D.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científico-tecnológica para quê? Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, jun. 2001.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

BRITO, Glaucia da Silva. Educação e novas tecnologias: re-pensar. 2. ed. rev., atual. e ampl. Curitiba: Ibpex, 2008. 139 p.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 4.ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2006.

DELIZOICOV, D; ANGOTTI, J. A; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002. 364p.

KRASILCHIK, M. O Professor e o currículo das Ciências. São Paulo:Editora da Universidade de são Paulo, 1987.

______. Caminhos do ensino de ciências no Brasil. In: Em Aberto. Brasília, n. 55, p. 4-8, 1992.

______. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em perspectiva, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000.

MORTIMER, E. F. Construtivismo, mudança conceitual e ensino de Ciências: para onde vamos? Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v.1, n. 1, p. 20-39, 1996.

NÚÑEZ, I. B.; RAMALHO, B. L.; SILVA, I. K. P.; CAMPOS, A. P. N. A seleção dos livros didáticos: um saber necessário ao professor. O caso do ensino de Ciências. Revista Iberoamericana de Educación, p. 1-12, 2003. Disponível em: <http://www.rieoei.org/deloslectores/ 427Beltran.pdf>. Acesso em: 31 julh. 2018.

ROSA, M. I. P. (org) Formar: encontros e trajetórias com professores de ciências. São Paulo: Escrituras Editora, 2005.

SANTOS, F. M. T. e GRECA, I. M. (orgs). A pesquisa em ensino de Ciências no Brasil e suas metodologias. Ijuí: Ed. Ijuí, 2006.

SANTOS, W. L. P.; AULER D. (orgs.). CTS e educação científica: desafios, tendências e resultados de pesquisas. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2011.

SANTOS, W. L. P; SCHNETZLER, R. P. Educação em química: compromisso com a cidadania. 4 ed. Ver. Atual. Ijuí : Ed. UNIJUÍ, 2010. 160 p.

TURIN, Jussara. Livro didático de Química – PNLD/2012: fatores que influenciaram a escolha dos livros pelos professores da educação básica. 2013. 190 f. Dissertação, Mestrado em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

UNTAR, Saad. A Química no ensino fundamental e os conhecimentos dos professores das escolas municipais da cidade de Varzea Grande – MT. 2008. 145 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal de Mato Grosso. Programa de Pós-Graduação em Educação. Cuiabá, 2008.