Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Práticas pedagógicas que envolvem a linguagem escrita na Educação Infantil: um estudo de caso em Primavera do Leste
GILVANE REINKE

Última alteração: 20-10-18

Resumo


A presente pesquisa está vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação do Câmpus Universitário de Rondonópolis, Universidade Federal de Mato Grosso (PPGEdu/CUR/UFMT), na linha de pesquisa “Linguagens, Cultura e Construção do Conhecimento: perspectivas histórica e contemporânea”, do Grupo de Pesquisa: ALFALE, apresentando os resultados de uma investigação que teve como objetivo principal analisar as práticas pedagógicas com a linguagem escrita, impactadas pela utilização do sistema apostilado de ensino, nas rotinas com turmas de 5 anos da Educação Infantil. Como objetivos específicos, pretende-se analisar como a linguagem escrita é apresentada às crianças, com a adoção de apostilas; observar como as atividades de escritas são apresentadas às crianças, nas práticas pedagógicas, sem a utilização de apostilas; analisar se as práticas pedagógicas com a linguagem escrita contemplam diferentes gêneros textuais e/ou experiências e aprendizagens significativas norteadas pelas interações e brincadeiras, de acordo com as orientações das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil; refletir sobre de que maneira a Base Nacional Comum Curricular vem orientando o ensino de linguagem escrita na Educação Infantil. A pesquisa é de abordagem qualitativa, um estudo de caso pautado nos seguintes procedimentos para levantamento de dados: observações de campo, análise documental, entrevista semiestruturada com professoras de 5 turmas, coordenador e diretora, análise das atividades de escrita de uma apostila do Sistema Maxi de Ensino: Coleção Iluminuras, utilizada por crianças de 5 anos em 2008, período em que o material apostilado era utilizado no município de Primavera do Leste. Os sujeitos da pesquisa são 63 crianças de 5 anos, 5 professoras das respectivas turmas, um coordenador pedagógico e uma diretora. Na análise da apostila, observamos como foram apresentadas as atividades com a linguagem escrita; pelas entrevistas semiestruturadas, analisamos as percepções a respeito das práticas pedagógicas com e sem a utilização de apostilas. A análise dos dados foi organizada em cinco categorias vinculadas aos objetivos da pesquisa: observação das práticas conforme a perspectiva dos gêneros textuais; como abordam a perspectiva do letramento; como se relacionam à perspectiva dialógico-discursiva; se estão de acordo com as orientações das DCNEIs / BNCC e se a linguagem escrita dialoga com múltiplas linguagens. Tomamos como referencial teórico os estudos de autores que discutem questões relacionadas às práticas pedagógicas na Educação Infantil, linguagem escrita, letramento, gêneros textuais, diálogo e discurso, currículo, interações e brincadeiras, dentre outras abordagens. Deste modo, espera-se contribuir para o debate sobre a expansão do uso de sistemas apostilados no contexto da Educação Infantil, uma política pública que requer enfrentamentos.

Palavras-chave: Apostilas. Linguagem Escrita. Educação Infantil. Práticas Pedagógicas.


Palavras-chave


Apostilas. Linguagem Escrita. Educação Infantil. Práticas Pedagógicas.

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4.ª tiragem. Martins Fontes: São Paulo, 2018.

 

BAKHTIN, Mikhail. Questões de Estilística no Ensino da Língua. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. Editota 34 Ltda. (Edição brasileira): São Paulo, 2013.

 

BAPTISTA, Mônica Correia. A Linguagem Escrita e o Direito à Educação na Primeira Infância. Centro de Alfabetização Leitura e Escrita – CEALE. Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, 2010. P. 1 a 17. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=6673-linguagemescritaeodireitoaeducacao&Itemid=30192. Acesso em: 30 jun.

 

BOGDAN, Robert. BIKLEN, Sari. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto, 1994.

 

BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi. LEAL, Telma Ferraz. Alfabetizar e Letrar na Educação Infantil: o que isso significa? P. 13 a 31. In: BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi. ROSA, Ester Calland de Souza (Orgs.). Ler e Escrever na Educação Infantil: discutindo práticas pedagógicas. 2.ª edição. Autêntica LTDA: Belo Horizonte, 2011.

 

BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi. ROSA, Ester Calland de Souza (Orgs.). Ler e Escrever na Educação Infantil: discutindo práticas pedagógicas. 2.ª edição. Autêntica LTDA: Belo Horizonte, 2011.

BRASIL, Ministério da Educação. Banco de Práticas Inspiradoras. http://plataformaintegrada.mec.gov.br. 2017d.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. 2017b. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 17 de jun. 2018.

 

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica. Brasília, 2013.

 

BRASIL, Ministério da Educação. Endereço eletrônico da Base Nacional Comum Curricular. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. 2017c.

 

BRASIL, Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Brasília – DF, 2017e.

BRASIL, Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. 2012-2024.  Brasília, 2014. Disponível em: http://www.observatoriodopne.org.br/uploads/reference/file/439/documentoreferencia.pdf.  Acesso em: 10 de ago. 2017.

 

BRASIL, Ministério da Educação. Portaria nº 331, DE 5 de abril de 2018. Institui o Programa de Apoio a Implementação da BNCC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 23 de mai. 2018.

 

BRASIL, Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº 2, DE 22 de dezembro de 2017, 2017a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 24 de dez. 2017.

 

BRASIL, Viviane Carvalho. GASPARINI. Mônica Barone. Coleção Iluminuras. 1º Bimestre. Educação Infantil. Infantil III. Nível II. 130 p. Sistema Maxi de Ensino. Londrina/PR: Maxiprint, 2007a.

 

BRASIL, Viviane Carvalho. GASPARINI. Mônica Barone. Coleção Iluminuras. 1º Bimestre. Livro do Professor. Educação Infantil. Nível II. 132 p. Sistema Maxi de Ensino. Londrina/PR: Maxiprint, 2007b.

 

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, Senado Federal, 1988.

 

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069, de 13 de junho de 1990. Brasília, 1990.

 

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - 2009, 2012, 2015. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mt/panorama. Acesso em: 12 de nov. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 4024/61, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1961.

 

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília - DF, 1996.

 

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Programa Nacional de Educação Pré-Escolar. Brasília, 1981.

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Operacionais para a Educação Infantil. Brasília, 1999.

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à Educação. Brasília, 1994.

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Subsídios Para o Credenciamento e Funcionamento de Instituições de Educação Infantil. Brasília, 1998a.

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional Para a Educação Infantil. Brasília, 1998b.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº 22/1998, de 17 de dezembro de 1998. Aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, 1998c. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/parecer_ceb_22.98.pdf. Acesso em: 27 ago. 2017.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº 20/2009, de 11 de novembro de 2009. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, 2009c. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/pceb020_09.pdf. Acesso em: 12 de jun. 2017.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB nº 05 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, 2009d. Disponível em: http://www.seduc.ro.gov.br/portal/legislacao/RESCNE005_2009.pdf. Acesso em: 20 de jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Critérios Para um Atendimento em Creches que Respeite os Direitos Fundamentais das Crianças. Brasília, 2009a.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Emenda Constitucional nº 59 de 11 de novembro de 2009. Brasília, 2009e.

BRASIL. Ministério da Educação. Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Brasília, 2009b.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Básicos de Infra-estrutura para Instituições de Educação Infantil. Brasília, 2006b.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. Brasília, 2006a.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Lei nº 10.172/2001, de 09 de janeiro de 2001. Brasília, 2001.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Programa de Formação Inicial para Professores em Exercício na Educação Infantil. Brasília, 2005.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, 2010.

 

BRASIL. Plano Nacional de Desenvolvimento. Lei nº. 7.486 de 6 de junho de 1986. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1980-1988/L7486.htm. Acesso em: 13 de fev. 2017.

 

CAPOVILLA, Alessandra G.S.; CAPOVILLA, Fernando C. Alfabetização: Método fônico. 3ª Ed. Memnon. São Paulo: 2004.

 

COLLODI, Carlo. Adaptação de DURÃES, Débora Janaína. Pinóquio. Maxiprint. Maringá: 2010.

 

CRAIDY, Carmem. KAERCHER, Gládis E. (Orgs.). Educação Infantil: Pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

 

DORIGO, Helena Maria Girotto; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura do. A Concepção Histórica Sobre as Crianças Pequenas: Subsídios para pensar o futuro. UEPG. 2007. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/652-2279-1-PB.pdf. Acesso em: 15 de agos. 2017.

GOULART, Cecília M. A. GONTIJO, Cláudia Maria Mendes. FERREIRA, Norma Sandra de A. (Orgs.). A Alfabetização Com Processo Discursivo: 30 anos de A criança na fase inicial da escrita. São Paulo: Cortez, 2017.

 

GOULART, Cecília M. A. Letramento e polifonia: um estudo de aspectos discursivos do processo de alfabetização. P. 1 a 18. Universidade Federal Fluminense, Faculdade de Educação. Revista Brasileira de Educação. 2001.

 

GOULART, Cecília M. A. O Conceito de Letramento em Questão: Por uma perspectiva discursiva da alfabetização. Revista Bakhtiniana, p. 35-51. São Paulo: 2014.

 

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Brinquedos e Brincadeiras na Educação Infantil: Importância do brincar para a criança de 0 a 5 anos e 11 meses. Universidade de São Paulo. Anais do I Seminário Nacional: currículo em movimento – perspectivas atuais. P. 1 a 20. Belo Horizonte, novembro de 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7155-2-3-brinquedos-brincadeiras-tizuko-morchida/file. Acesso em: 2 de nov. 2017.

 

KLEIMAN, Angela B. (org.) Os Significados do Letramento: Uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas - São Paulo: Mercado de Letras, 10.ª reimpressão, 2008.

 

KLEIMAN, Angela B. Preciso “ensinar” o letramento? Não basta ensinar a ler e a escrever? Coleção Linguagem e letramento em fovo. P. 1 a 65. Cefiel/IEL/Unicamp, 2005. Disponível em: https://oportuguesdobrasil.files.wordpress.com/2015/02/kleiman-nc3a3o-basta-ensinar-a-ler-e-escrever.pdf. Acesso em: 8 de set. 2017.

 

KRAMER, Sonia. A Política do Pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. São Paulo: Cortez, 2011.

 

LEAL, Telma Ferraz. SILVA, Alexsandro da. Brincando, as crianças aprendem a falar e a pensar sobre a língua. P. 53 a 72. In: BRANDÃO, Ana Carolina Perrusi. ROSA, Ester Calland de Souza (Orgs.). Ler e Escrever na Educação Infantil: discutindo práticas pedagógicas. 2 edição. Autêntica LTDA: Belo Horizonte, 2011.

 

LUDKE, Menga. ANDRÉ, Marli. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

 

MARCÍLIO, Maria Luiza. A Roda de Expostos e a Criança Abandonada no Brasil: 1726-1950. In: História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez; 2016.

 

MATO GROSSO.  Coleção das Leis e Decretos do Poder Executivo do Estado de Mato Grosso. Atos do Poder Legislativo de nº 512 à 526. Cuiabá, 24 de maio de 1909. Disponível em: http://gem.ufmt.br/gem/sistema/arquivos/17071204592359.pdf. Acesso em: 15 de jun. 2017.

 

MATO GROSSO. Coleção de Leis e Decretos. Arquivo Público de Mato Grosso. Decreto nº 533, 1910. Disponível em: http://www.apmt.mt.gov.br/. Acesso em: 12 de jun. 2017.

 

MATO GROSSO. Projeto de Lei do Plano Plurianual, 2016-2019. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/orcamento-da-uniao/leis-orcamentarias/ppa/2016-2019/ppa-2016-2019/Emendas. Acesso em: 8 de mai. 2017

 

MATO GROSSO. Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso. Plano Estadual de Educação. 2006-2016.

 

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. A “querela dos métodos” de alfabetização no Brasil: contribuições para metodizar o debate. Revista ACOALFAplp: Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa, São Paulo, ano 3, n. 5, 2008. Disponível em: http//acoalfaplp.net. Publicado em: setembro 2008.

 

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Educação e Letramento. São Paulo: UNESP, 2004.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. (org.) O Trabalho do Professor na Educação Infantil. São Paulo: Biruta, 2012.

 

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Currículo na Educação Infantil: o que propõem as novas diretrizes nacionais? FFCLRP-USP e ISE Vera Cruz. ANAIS DO I Seminário Nacional: Currículo em Movimento – Perspectivas Atuais Belo Horizonte, novembro de 2010. P. 1 a 14, 2010a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7153-2-1-curriculo-educacao-infantil-zilma-moraes/file. Acesso em: 18 de nov. 2017.

 

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2011.

 

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Educação Infantil: muitos olhares. São Paulo: Cortez, 2010b.

 

OSTETTO, Luciana Esmeralda. (Org.) Encontros e Encantamentos na Educação Infantil. 10ª Ed. Papirus, Campinas/São Paulo: 2012b.

 

OSTETTO, Luciana. Do Cinzento ao Multicolorido: Linguagem oral, linguagem escrita e prática pedagógica na educação infantil. P. 79 a 95, in: Arte, Infância e Formação de Professores: autoria e transgressão. OSTETTO, Luciana. LEITE, Maria Isabel.  São Paulo: Papiros, 2012a.

 

POUBEL E SILVA, Elizabeth Figueiredo de Sá. De criança a aluno: As Representações da escolarização da infância em Mato Grosso (1910-1927). São Paulo: USP, 2006. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/TeseElizabethSaPoubel%20(3).pdf. Acesso em: 21 de jul. 2017.

 

PRIMAVERA DO LESTE. Estatuto dos Profissionais da Educação do Município de Primavera do Leste. Lei 681/2001.

 

PRIMAVERA DO LESTE. Plano Municipal de Educação. Lei n. 1.555, de 24 de junho de 2015.  Disponível em: https://leismunicipais.com.br/plano-municipal-de-educacao-primavera-do-leste-mt. Acesso em: 26 de jun. 2017.

 

PRIMAVERA DO LESTE. Política Municipal da Educação Infantil do Município de Primavera do Leste. 2016.

 

REINKE, Gilvane. PAIVA, Silvia Cristina Fernandes. A utilização da literatura infantil na formação de leitores na educação Infantil. P. 359 a 370.  V Congresso Internacional de Literatura Infantil e Juvenil do CELLIJ. Presidente Prudente, 2017. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/371263245/Anais-Completo-Do-V-Congresso-Internacional-de-Literatura-Infantil-e-Juvenil. Acesso em: 10 de agos. 2018.

 

REINKE, Gilvane. SILVA, Simone de Cássia Soares da. Apropriação da linguagem escrita na Educação Infantil: Alfabetizar e/ou letrar? P. 1 a 10. JENPEX – Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão. Primavera do Leste – MT, 2017. Disponível em: www.even3.com.br/Anais/jenpexifmtpdl/63106-apropriacao-da-linguagem-escrita-na-educacao-infantil--alfabetizar-eou-letraracesso em: 10 de agos. 2018.

 

RODRÍGUEZ, Margarita Victoria; OLIVEIRA, Tereza Cestari de. História das Políticas Educacionais Brasileiras Do Século Xx: A Escola Normal no Sul do Estado de Mato Grosso (1930- 1950). P. 1 a 16. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/acer_histedbr/jornada/jornada6/trabalhos/1021/1021.pdf. Acesso em: 12 de mai. 2017. UCDB, 2005.

 

SANTOS, Elton Castro Rodrigues dos. SÁ, Elizabeth Figueiredo de. Educação Infantil em Mato Grosso (1920 -1945) - Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. P. 1 a 11, 2011.  Disponível em: http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1306946537_ARQUIVO_EducacaoInfantilemMatoGrosso(1910-1945).pdf. Acesso em: 28 de jun. 2017. São Paulo: julho 2011.

 

SCHNEUWLY, Bernard. DOLZ, Joaquim. (Orgs.) Gêneros Orais e Escritos na Escola. 2.ª ed. Mercado de Letras: Campinas, São Paulo, 2010.

 

SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros e Tipos de Discurso: Considerações psicológicas e ontogenéticas. P. 19 a 34. In: SCHNEUWLY, Bernard. DOLZ, Joaquim. (Orgs.) Gêneros Orais e Escritos na Escola. 2.ª ed. Mercado de Letras: Campinas, São Paulo, 2010a.

 

SCHNEUWLY, Bernard. Palavras e Ficcionalização: um caminho para o ensino da linguagem oral. P. 109 a 124. In: SCHNEUWLY, Bernard. DOLZ, Joaquim. (Orgs.) Gêneros Orais e Escritos na Escola. 2.ª ed. Mercado de Letras: Campinas, São Paulo, 2010b.

 

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A Criança na fase inicial da escrita: alfabetização como processo discursivo. 7.ª educação. São Paulo: Cortez, 1996.

 

SOARES, Magda. Alfabetização e Letramento. 6.ª ed. São Paulo: Contexto, 2016.

 

SOARES, Magda. Alfabetização: A questão dos métodos. 18.ª ed. São Paulo: Contexto, 2017b.

 

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3.ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

 

SOARES, Magda. Linguagem e Escola: uma perspectiva social. 18.ª ed. São Paulo: Contexto, 2017a.

 

SOUZA, Antonio Ricardo de. SOUZA, Janice Janissek de. Gestão da Educação Pública em Mato Grosso: Análise a partir de Alguns Indicadores de Desempenho. UNICiências, v.7, 2003.

 

VOLÓCHINOV, Valentin. BAKHTIN, Mikhail. (Círculo de Bakhtin). Marxismo e Filosofia da Linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. 1.ª ed. Editora 34: São Paulo, 2017