Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Petrologia Geologia e Geocronologia (Lu-Hf) da Suíte Intrusiva Alvorada, no município de Araputanga-SW do Cráton Amazônico: Magmatismo tardio relacionado a Orogenia Cachoeirinha.
Luiz Claudio Durão Franco

Última alteração: 26-10-18

Resumo


Granitóides cálcio-alcalinos de médio a alto potássio, podem ocorrer em diversos tipos de ambientes tectônicos, como Orógenos colisionais de duas litosferas continentais, convergência de placa oceânica com continental e períodos de quiescência ou transição tectônica. Porém um corpo rochoso quando é bem datado e analisado detalhadamente, pode fornecer informações suficientes para classificar as rochas e, relacioná-las com o ambiente onde ela foi gerada. Segundo a classificação de granitóides propostas por Barbarin (1999), os tipos “KCG”, (K-rich Calc-Alkaline), granitóides cálcio-alcalinos de médio a alto potássio, são corpos de natureza mista, de cristalização de minerais provindos de elementos do manto, seguido de contaminação crustal. A suíte intrusiva Alvorada apresenta minerais característicos de um tipo de granitóide específico, de acordo com Barbarin (1999). São granitos porfiríticos, compostos de Quartzo, Biotita, feldspato alcalino, e alguns minerais acessórios como a titanita, allanita, apatita epidoto e zircão. As rochas da Suíte Intrusiva Alvorada localizam-se ao longo de uma extensa e estreita faixa situada entre as cidades de Reserva do Cabaçal e Mirassol d’oeste, na região SW do estado do Mato Grosso, Cráton Amazônico. Ocorrem na forma de diques, plugs ou stocks intrudindo as rochas da Sequência Metavulcano-sedimentares Cabaçal, além dos gnaisses do Complexo Metamórfico Alto Guaporé e os granitos da Suíte intrusiva Santa Cruz. É representada por rochas graníticas isotrópicas a levemente foliadas, de granulação fina a média, cinza-claro a rosa e composição predominante monzogranítica, com fácies sienogranítica. A revisão das análises Geoquímicas encontradas na literatura mostram que o magmatismo que originou as rochas da Suíte Intrusiva Alvorada é classificado como subalcalino, do tipo cálcio-alcalino, suas classificações nos diagramas de Álcali versus SiO2 de Cox et. al. (1979) e razões de Zr/TiO2 e Nb/Y de Whinchester e Floyd (1977), entre outros, confirmam os estudos petrográficos caracterizando esses litotipos variando entre sienogranitos a granodioritos com predomínio de monzogranitos. Análises Geocronológicas em monocristais de zircão pelo método U-Pb, realizadas em amostras da Suíte Intrusiva Santa Cruz apontam que durante a Orogenia Cachoeirinha (Calimmiana) dois estágios de evolução é evidenciado: o primeiro, 1590 a 1560 Ma, é dominado por arco de ilhas vulcânicos intra-oceânicos e o segundo, 1560 a 1520 Ma, que é caracterizado por expressivo magmatismo granítico (batólito Santa Cruz e Cabaçal), Ruiz (2005). Os resultados das amostras da Suíte Intrusiva Alvorada para U-Pb é de 1530 ~ 63 Ma. Araújo (2008). São valores mais jovens que as rochas da suíte Santa Cruz, e, é possivel verificar em campo o hábito intrusivo das rochas da Suíte Alvorada. A suíte Alvorada apresenta características estruturais, geoquímicas e mineralógicas que permitem classificá-las como granitos do tipo I, pós-tectônico, de natureza híbrida. Através de dados de campo, petrográficos e da revisão geológica, geoquímica e geocronológica da Suíte Intrusiva Alvorada, pretende-se apresentar dados detalhados, novas ocorrências e discutir suas associações magmáticas de natureza cálcio-alcalinas.