Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
A AGRICULTURA FAMILIAR ECOLÓGICA COMO DESENVOLVIMENTO RURAL: O CONTRAMOVIMENTO DOS PRODUTORES RURAIS DE ORGÂNICOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE CUIABÁ -MT
DIOGO BARBOSA LEITE, Alexandro Rodrigues Ribeiro

Última alteração: 25-10-18

Resumo


É notório que chegar a um consenso sobre o conceito desenvolvimento tem sido um ponto de debate interessante em diversas áreas de estudo, principalmente na Economia. Com o avanço desse debate, deu-se maior observação ao desenvolvimento com um viés ligado ao ser humano, principalmente quanto ao seu grau de civilização e integração social. Dentre as várias teorias, destaca-se aquela defendida por autores que estudam e pesquisam sobre a Teoria do Desenvolvimento Sustentável, base desse projeto de dissertação. A preocupação com o sustentável se dá pela nítida constatação do declínio que a agricultura moderna provoca na qualidade dos recursos naturais. O conceito de sustentabilidade, ainda diverso e de diferentes interpretações, é útil porque é resultado da evolução dos sistemas econômicos para o desenvolvimento. No cenário nacional, não há como se negar a relevância da agricultura para o país. Contudo, percebe-se a nítida contraposição de interesses entre o agronegócio – seja pelos interesses capitalistas, perspectiva mercantilista e pela alta intensificação tecnológica, com os interesses da agricultura familiar. Existe a real necessidade de converter sistemas degradantes e pouco inclusivos para sistemas sustentáveis. Nesse cenário, começa a ter maior relevância a Agroecologia. No Brasil a produção orgânica vem se destacando como um importante caminho para o fortalecimento da agricultura rural sustentável. Em Mato Grosso, em especial, na região de Cuiabá, existem variadas iniciativas de agricultura orgânica familiar, sendo destaque aquelas que mantém algum tipo de relação com projetos extensionistas e de pesquisa desenvolvidos pela Universidade Federal de Mato Grosso. A mais relevantes dentre elas é a Cooperangi – Cooperativa dos Pequenos Produtores do Assentamento Agroana Girau, localizada no município de Poconé - MT. O interesse pelo estudo de tema nasce justamente da relevância das parecerias entre a universidade e os agricultores familiares. Há de se ressaltar que a Faculdade de Economia da UFMT tem sido uma agente promotora de pesquisa e extensão junto aos produtores. Apresenta-se como ponto de partida desse estudo a hipótese geral de que a agricultura orgânica seria uma alternativa viável para atingir as dimensões do desenvolvimento sustentável. Logo, pode-se afirmar que a agricultura familiar que emprega a produção orgânica é capaz de se desenvolver economicamente, ambientalmente e socialmente. A fim de contemplar tal hipótese generalista, definiu-se a seguinte questão norteadora: o sistema de produção orgânico desenvolvido pelos agricultores associados aos programas de extensão da Faculdade de Economia da UFMT é considerado uma atividade promotora de desenvolvimento sustentável? Tendo isso, o objetivo geral deste projeto de pesquisa de mestrado é de relacionar a produção de alimentos orgânicos com o desenvolvimento dos agricultores familiares. Em relação aos procedimentos metodológicos, os resultados da pesquisa expressam-se pela abordagem mista, por meio da estratégia exploratória sequencial. O instrumento de coleta de dados será composto por questões qualitativas e quantitativas. Esses dados posteriormente serão tratados com auxílio do programa IRAMUTEQ.  Relativo aos aspectos quantitativos, a investigação permite a produção de inferências com estatística descritiva, bem como o uso de análise fatorial e da análise de aglomeração.


Palavras-chave


Desenvolvimento; Agroecologia; Produção orgânica; Status social